icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
14/11/2013
08:09

Há uma expressão que, quando algo é ruim, é "para esquecer". No Internacional, mesmo que 2012 e 2013 tenham sido anos em que o clube não figurou entre os postulantes a títulos, a ideia é manter vivas as lembranças desses períodos para que o grupo não repita as frustrações. O meia D'Alessandro, líder do elenco, afirmou que o grupo é o maior culpado pelo ano ruim e que não conseguiu ser equilibrado.

O Inter sempre teve qualidade no setor ofensivo. Mas demonstrou muitas falhas no setor ofensivo. O discurso bate com o que passou a diretoria colorada, que disse que não teria recursos para investir tanto na defesa quanto no ataque. Optou por trazer jogadores renomados para o meio e ataque.

- Não posso dividir o grupo, responder por cinco. Futebol é de 11. Não tem como fazer isso e não é o caminho bom. Está na nossa campanha que não temos um equilíbrio como equipe. Estamos cientes que a campanha não foi boa, não é o que a gente esperava. Nessa altura, esperávamos ter mais pontos, brigar por Libertadores. Como grupo não tivemos equilíbrio, em vários momentos pecamos muito, no futebol, os gols acontecem pelos erros. Futebol não é perfeito, por isso é bonito. Mas o culpado é o grupo, somos uma equipe que não conseguiu ter o equilíbrio, que não conseguiu manter uma sequência de jogos boa. A única que lembro foi a do primeiro turno, que ficamos até em primeiro na tabela. São dois pontos importantes onde a gente não conseguiu esse ano, ganhar em casa e esse equilíbrio que tanto falamos durante todo o ano - discursou o camisa 10 D'Alessandro.

Na atual temporada, Dunga assumiu o comando no início do ano, após ser apresentado em dezembro. Junto com o treinador, foram anunciados os diretores de futebol Marcelo Medeiros e Luis Cesar Souto de Moura e seus assessores, além do retorno do diretor-executivo Newton Drummond. Os jogadores são os maiores responsáveis pela campanha ruim, afirma D'Ale.

- Não tem que esquecer. Futebol faz parte. Porque vamos esquecer? Faz parte. Tem culpado? Tem. A culpa é do grupo, o grupo tem que assumir a sua culpa. A maior porcentagem de culpa é nossa. A diretoria tem que assumir a sua culpa, se errou ou não, eles que sabem. Cada um tem sua parte. A maior é nossa, somos quem entra em campo e joga. Tivemos dois treinadores esse ano, infelizmente os resultados não acompanharam o trabalho do Dunga, teria sido perfeito. E hoje temos o Clemer, que conhece o clube e os jogadores. Faz parte do futebol coisas boas e ruins, 2012 e 2013 não foram bons. Acontece, foi com o Corinthians, Santos. Tem uma hora que tem uma caída. Precisa de uma reorganização, chegar jogadores novos, sair jogadores importantes. É uma reestruturação constante. Tomara que não se volte a repetir em 2014 - finalizou o argentino.

O Inter mira investimentos no setor defensivo. O zagueiro Ernando, do Goiás, está contratado e se apresenta em 2014. A diretoria promete outros nomes. Jovens da base serão mais aproveitados, como acontece nesta reta final de ano. E alguns jogadores podem deixar o clube, como Gabriel, Kleber e Índio, por exemplo.