icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
15/07/2014
10:22

A Copa do Mundo se encerrou no último domingo, com a vitória da Alemanha sobre a Argentina por 1 a 0. Mas duraria até o final do ano, senão mais, dentro do elenco do Grêmio se os hermanos saíssem vencedores. O goleiro Marcelo Grohe admitiu que torceu para os alemães para que Barcos e Alán Ruiz não os cornetassem. ALém disso, o camisa 1 do Tricolro também falou sobre o estilo de Neuer, que atuou adiantado grande parte da Copa.

O centroavante e o jovem meia já provocaram o restante do elenco com a famosa música "Decime qué se siente" durante a Copa do Mundo. Ruiz confirmou a cantoria, no vestiário, no ônibus e até no avião.

- Torci para a Alemanha, por minha família ser descendente de alemães e pela corneta também, seria uma corneta eterna. Nós brasileiros não merecíamos isso, de a Argentina ganhar o Mundial aqui no nosso país. Tem outros mundiais aí pela frente para eles ganharem - brincou Grohe.

Sobre os jogadores de sua posição, Grohe valorizou muito Navas, da Costa Rica, Neuer, da Alemanha e Ochoa, do México. Além de citar também Tim Howard, dos Estados Unidos. O diferencial de sua função acabou sendo a característica marcante de Neuer, que atuava quase como líbero. Contra a Argélia, nas oitavas de final, este estilo ficou bastante marcado nas saídas do goleiro. Segundo Grohe, algo que pode ser usado a partir da Copa no Brasil.

- É uma característica que ajuda muito a equipe. Eu particularmente gostei de ver ele jogando, é uma qualidade a mais que ele mostrou, em um futebol tão moderno, que evoluiu muito. Ter um goleiro com essa qualidade e característica, ajuda muito a equipe, talvez a jogar mais pressionando o rival, não se preocupando com as bolas em profundidade porque tem o goleiro com a condição de sair. Tudo é trabalhado e treinado. Vale a pena a gente aprender com os outros - avaliou o camisa 1 gremista.