icons.title signature.placeholder Michel Castellar
01/07/2014
08:30

Até os 17 minutos do segundo tempo, a França viveu de jogadas esporádicas no ataque, resultantes de contra-ataques ou erros adversários, mas foi a entrada de Antoine Griezmann no lugar de Giroud, que mudou a partida contra a Nigéria, ontem, pelas oitavas de final da Copa do Mundo. O atleta da Real Sociedad, da Espanha, trouxe uma nova vida ao setor ofensivo e foi decisivo para o triunfo ante a seleção africana, por 2 a 0.

- Entro para fazer o meu jogo e apoiar a equipe no que for necessário. O mais importante foi termos conseguido a vitória e continuado na Copa - disse Griezmann.

De acordo com o atacante, o êxito francês na Copa do Mundo se deve ao fato de o time estar bem entrosado tanto dentro como fora de campo. Ele salientou que o grupo tem conseguido se divertir enquanto atua e isso tem sido uma vantagem.

Griezmann deu nova movimentação para o ataque francês e tirou Benzema do isolamento. Depois que o atacante da Real Sociedad entrou, o artilheiro da França teve três oportunidades para marcar.


A melhor delas foi justamente após Benzema tabelar com Griezmann. E o gol da vitória saiu com a participação dos dois.

Benzema cobrou um escanteio curto para Valbuena, que cruzou a bola rasteira e Griezmann dividiu com o zagueiro africano Yobo, que foi apontado como o autor do gol.


A boa fase da França já fez com que comparações entre o time atual e a equipe que conquistou a Copa do Mundo, em 1998, contra o Brasil, fossem feitas. Griezmann procurou fugir do assunto e preferiu não polemizar.

- Não sei. Veremos se vamos até a final - disse Griezmann.

Ao falar sobre o atacante, o técnico da França, Didier Dechamps, não poupou elogios. Disse que o atacante entrou e cumpriu o seu papel.