icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
05/12/2013
18:48

A situação revelada pelo capitão Hernán Barcos na manhã desta quinta-feira já está sendo - e era - trabalhada de maneira interna no elenco do Grêmio. Os dirigentes prometem que a próxima semana os direitos de imagem dos jogadores já estejam quitados, pelo menos uma parte deles. O clube gaúcho avisou aos atletas que teria problemas no fluxo de caixa ao final da temporada. A partida contra a Portuguesa, no domingo, pode definir o segundo lugar para o Tricolor. Se chegar ao vice-campeonato, teria uma premiação maior, o que ajudaria já no pagamento aos atletas.

O elenco tricolor recebe em duas partes, nos dias 10 e 20 de cada mês. Está com um mês ede direitos de imagem atrasados. A conversa com os jogadores da manhã desta quinta-feira foi para alinhavar a situação e tratar de maneira transparente os problemas. Barcos também citou funcionários em sua entrevista. O que curiosamente, envolve o diretor-executivo Rui Costa, que cuida da situação diretamente com os atletas.

- A questão é discutida de forma muito transparente no vestiário, eles sabem o que estamos fazendo para buscar receitas e condições de cumprir com os nossos compromissos. O Grêmio, e eu, não vamos prometer o que não pode ser cumprido. Presidente já tinha se comprometido com eles, certamente vamos ter as coisas cumpridas no final de ano. O que não puder ser pago vai ser poder ser composto para a próxima temporada. A partir da semana que vem vamos ter receitas que podem entrar para que a gente comece a definir a situação, com a prioridade dos profissionais do clube - garantiu Rui Costa ao LANCE!Net.

Outro ponto discutido também foi a situação de bichos e premiações especiais que atletas têm direito. Por conta da possibilidade de transferências ao final do ano, se cogitou que o Grêmio se comprometesse por escrito que pagaria tais situações. O dirigente gremista afirmou que a postura de Barcos na entrevista coletiva não foi combinada com a diretoria, mas que não há problemas na manifestação.

- Estava já designado ue daria entrevista, não começou a entrevista sobre isso. Foi questionado. E tinha conversado comigo e com todo o grupo e tínhamos tratado do tema. Achou por bem falar sobre isso. Não havia nenhuma combinação, a medida que foi tratado, ele se posicionou, por certo isso inquieta os seus colegas. Veio em uma dimensão jornalística que tempera um pouco mais o assunto. Mas o treinamento flui normalmente e estamos focados em fazer um grande jogo e fechar como vice-campeões, é o que importa, a mobilização. O lado ruim é que se tornou publico um assunto interno, mas por outro lado o torcedor pode perceber como tratamos e os jogadores atuando de maneira profissional, com entrega desde sempre - completou o dirigente.

O Grêmio tem déficit calculado em cerca de R$ 90 milhões no ano, mas este número sofrerá uma redução após a assinatura do novo contrato com a OAS, referente a parceria da Arena. O clube gaúcho, antes da situação, já admitia que seria necessário uma readequação financeira em 2014, sem grandes investimentos no futebol.