icons.title signature.placeholder Eduardo Moura
03/12/2013
08:04

Mais um ano, o Grêmio está na Libertadores. A vitória sobre o Goiás, à derrota do Botafogo para o Coritiba, deixou o clube gaúcho sem nenhuma condição de perder a terceira colocação do Campeonato Brasileiro. Ou seja, pelo menos na primeira fase da competição o clube está. O planejamento para a competição, assim, tomará forma nos próximos dias. O Tricolor irá passar por uma readequação financeira e não fará grandes investimentos para a disputa da competição.

Os problemas na área das finanças são comuns a todos os clubes brasileiros. O Grêmio pode fechar o ano com um déficit superior a R$ 80 milhões. Para evitar isso, o primeiro ponto que pode influenciar diretamente na competição: venda de jogadores. O candidato mais forte é o zagueiro Bressan: 20 anos, cidadania italiana e atuações sólidas nas últimas rodadas do Brasileirão. Mesmo afirmando que quer ficar para jogar a competição.

Outros, porém, como Alex Telles e Ramiro, podem ser negociados. O clube se orgulha de ter "criado ativos" ao longo de 2013 que podem ajudar a acabar com o problema financeiro.

- Não podemos fazer terrorismo financeiro. Não é a nossa intenção. Não é falar do grupo, que vamos mandar embora gente, que isso e aquilo. Não é essa a questão. Vamos investir dentro da nossa limitação. Faremos no padrão do Grêmio. Já temos uma base de time, um lastro, e vamos ver a necessidade de cada função - explicou o assessor de futebol Marcos Chitolina ao LANCE!Net.

Há ainda outras saídas possíveis. Mas por outro motivo: a contenção de gastos. São dois os modos de amenizar a perda de dinheiro no próximo ano: aumentar receitas, principalmente com a assinatura da renegociação do contrato com a OAS, e diminuir o gastos com o futebol. Jogadores com valor elevado, como o chileno Eduardo Vargas, o goleiro Dida e os meias Zé Roberto e Elano, podem sair por esse motivo - a economia com a saída do quarteto mais Marcelo Moreno seria de R$ 2,5 mi. Os dirigentes, porém, garantem que não haverá um desmanche no elenco para a próxima temporada.

O clube, claro, irá se reforçar. Embora ainda não fale de nomes, pode usar jogadores que não são muito usados, como por exemplo o centroavante Marcelo Moreno, para buscar novos valores. O exemplo dos meninos do Juventude, que chegaram quase sem custo, e do volante Riveros, que rescindiu com o clube turco que estava, são muito utilizados nos bastidores como modelo de negócio.

- Não canso de elogiar do grupo do Grêmio. É bom. Agora, é um grupo que pode disputar o título da Libertadores? Não. Precisa de reforços se o Grêmio pensa em algo maior. Mas são os pensamentos do clube e da diretoria. Quando, como e quem, é outro problema. Ainda entra o dinheiro - comentou o técnico Renato Gaúcho.

Renovação de Renato

O assunto mais proibido no que diz respeito ao ano de 2014 atende pelo nome de Renato Portaluppi. A negociação foi abortada por ambas as partes para que o foco fosse o final do Brasileirão e a vaga na Libertadores. Alguns pontos foram debatidos antes da pausa, enquanto outros ficarão para depois dos jogos. Um contato do Fluminense é negado pelo empresário do técnico, Gerson Oldenburg, mas divulgado por pessoas próximas ao presidente Koff. O nova realidade financeira do Tricolor pode acabar sendo um empecilho para o vínculo com o ídolo.