icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
11/04/2014
08:02

A briga do início do jogo com o Nacional, nesta quinta-feira, preocupa, e muito, o Grêmio. Por conta do enfrentamento de torcedores, o clube gaúcho teme que a Conmebol retire o mando de campo na partida de volta com o San Lorenzo, nas oitavas de final da Libertadores. E pode fazer isso sem nem que o clube gaúcho se defenda na comissão de ética.

Tudo porque o Grêmio já tem uma sentença condenatória na entidade. Basta que o órgão execute esta ação para que o Tricolor seja punido com uma partida sem público na Arena. Para piorar, o clube também pode ser novamente denunciado e outra punição, especificamente sobre a briga, acontecer.

- O Grêmio já está condenado, basta que a Conmebol execute a sentença e teríamos que jogar na Arena com os portões fechados. Tomamos as medidas de enviar todos os boletins de ocorrência e documentos feitos aqui, os torcedores foram todos identificados - comentou o advogado gremsita, Gabriel Vieira.

A nova denúncia pode acontecer baseada em um filme feito pelo delegado da partida, que viu a briga e vai fazer uma relatório sobre o assunto. O clube gaúcho também pode responder por conta dos sinalizadores acendidos na torcida do Nacional, mesmo que a polícia tenha entrado no setor para retirar o artefato.

O Grêmio está punido por conta do alambrado que cedeu quando a torcida comemorou o gol de Elano na vitória sobre a LDU, em janeiro de 2013, com a avalanche, hoje banida. Por isso, foi condenado, mas acabou com a punição suspensa por dois anos. Está em observação desde então. E por isso, pode acabar sem poder jogar nas oitavas de final com a Arena lotada.

Grêmio perde chances, leva sustos, mas vence Nacional-URU