icons.title signature.placeholder Alexandre Araújo
01/04/2014
07:32

A indefinição em relação às datas da eleição e a possível participação dos "mensaleiros" no pleito vêm agitando os bastidores da Colina. Prova disso é que o grande benemérito Otavio Gomes, denunciante do "mensalão vascaíno" em 2013, enviou e-mails a pessoas que podem influenciar no processo eleitoral.

Otavio Gomes entrou em contato com Olavo Monteiro de Carvalho, presidente da Assembleia Geral, Antônio Peralta, vice-presidente geral, e José Carlos Osório, ex-presidente do Conselho Deliberativo e ainda com prestígio internamente. Nas mensagens enviadas a cada um deles, uma mesma preocupação: o mensalão e a falta de combate do clube.

No e-mail enviado a Olavo, uma tentativa de que uma reunião com o próprio fosse realizada. E mais: a acusação de que ainda não ter marcado a data da eleição do Vasco seria um dos grandes erros dos quais ele já cometeu. Otavio termina ainda com um pedido.

Otavio ressalta que os contatos foram feitos em uma tentativa de que a eleição não seja fraudada.

– O intuito pelo qual enviei os e-mails foi para frear, de uma vez por todas, esse mensalão. O Vasco criou um clima de medo do Eurico Miranda. Mas Eurico não me mete medo. Esse mensalão é uma excrecência com o Vasco. É uma das coisas mais vergonhosas da história do futebol brasileiro – disse.

Otavio fez cálculo em cima dos números de sócios que entraram em abril do ano passado, destes, 1.730 em um dia.

– Faz rapidamente um cálculo. Como pode ter 1.700 e poucos sócios em um único dia? Se dividirmos isso por oito horas, cada hora dá 216 sócios, ou seja, são três sócios a cada minuto para a secretaria despachar – afirmou.

Sem papas na língua e preocupado com o futuro eleitoral cruz-maltino, Otavio garante:

– Isso é uma fraude. Eu denunciei uma fraude!



Grande benemérito acompanha sindicância pela imprensa

Diante das denúncias de que haviam mensaleiros no Vasco, foi aberta uma sindicância para apurar os fatos. Ao ser questionado se estava acompanhando o que esta comissão estava realizando e se chegou a ser convidado para fazer parte do grupo, Otavio respondeu da seguinte maneira.

– Segundo o Olavo, ele teria mandado o Peralta me colocar na sindicância. Aí o Peralta teria falado com o Coronel Tadeu... Mas nunca me colocaram na sindicância. Um mandou, o outro mandou. Não interessa, tem vaidade. Eu na sindicância, ia pegar, gravar e ir na casa de cada um: "vem cá, quem colocou você?". Provar que é fraude – disse, antes de prosseguir:

– Acompanho pelas informações que me dão. Mas no Vasco é tudo contraditório, há interesse. O Vasco hoje virou piada – afirmou.

A Junta Deliberativa aguarda o resultado da sindicância para marcar a próxima reunião e analisar a lista de sócios eleitores, além de definir prazos e datas do processo eleitoral.

Trechos dos e-mails bombásticos

Para Olavo Monteiro de Carvalho:
"O Vasco tanto hoje como no passado é uma ilha cercada de muitos oportunistas e aproveitadores e Vossa Senhoria possui um poder para mudar esse destino. Não se omita".

Para Antônio Peralta:
"Tenho certeza que não és desonesto, mas está cada vez mais difícil defendê-lo. Passas constantemente uma imagem de que estás ao lado do Eurico Miranda e do MENSALÃO e sem desmentir isso".

Para José Carlos Osório:
"Hoje, já estou descrente de tudo e de todos. Explico: Os homens do Vasco me fazem lembrar uma frase dita pelo saudoso João Silva: 'conheça o Vasco, conhecendo os homens do Vasco'. Nem todos são frouxos, mas no fundo tem receio de enfrentar o Eurico Miranda, mentor do MENSALÃO".

O "mensalão"

No fim do ano passado, Otavio Gomes denunciou que havia um "mensalão" no Vasco, no qual candidatos à presidência financiavam novos sócios. Foi aberta uma sindicância para apurar os fatos e passar à Junta Deliberativa esta lista de sócios aptos a votar.

Na denúncia, constava que mais de três mil sócios se vincularam ao clube em abril do ano passando, sendo que 1.730 foram apenas em um dia. Suspeita-se que cerca de dois mil são ligados a Eurico Miranda e mil a Roberto Monteiro, também candidato.