icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
16/03/2014
15:02

De Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, onde defende o Al-Ahli o atacante Grafite não para de receber ligações desde que a tabela de classificação do Paulistão passou a indicar que o Corinthians deve precisar da ajuda do São Paulo para se classificar. São-paulinos e corintianos não esquecem que, em 2004, foi ele quem salvou o Timão do rebaixamento no Estadual, ao marcar os dois gols da vitória por 2 a 1 sobre o Juventus. O Corinthians, que havia perdido da Portuguesa Santista por 1 a 0 na mesma rodada, seria rebaixado caso o Moleque Travesso ganhasse.

RELEMBRE A CAPA DO LANCE!-SP

Os gols de Grafite salvaram o Corinthians e são citados pela torcida do São Paulo sempre que o assunto rebaixamento no Paulistão é tema de discussão.

Naquela semana, o LANCE! estampou em sua capa a foto de um corintiano ajoelhado aos pés de Grafite, agradecendo pela salvação.

Em entrevista ao L!Net, o atacante se lembrou dessa capa. Falou mais sobre o que espera da rodada deste domingo e também sobre racismo

LANCE!Net – Depois do gol que você fez que salvou o Corinthians do rebaixamento, o LANCE! fez uma matéria com um corintiano ajoelhado, agradecendo pelo “presente”. Você lembra dessa capa do LANCE!? O que achou?
Sim eu me lembro. Na época teve muita repercursão e até hoje os torcedores do Corinthians vem me agradecer. Mas, como eu sempre falo, nós jogadores sempre entramos em campo para vencer e não ficamos pensando nos outros times.

L!Net – Você muito pressionado por torcedores do São Paulo depois do jogo por causa dos gols?
É normal o torcedor são-paulino ficar chateado, pois queria ver um dos rivais na pior e que nesse caso seria cair para a segunda divisão. Mas, acho que fiz uma história bonita no São Paulo, é um time que eu tenho muito carinho e tenho boas lembranças pela minha passagem por lá.

L!Net – Sempre que o Corinthians precisa da ajuda de um rival, lembram de você. Mas você já foi lembrado pela diretoria do Corinthians? O clube já te procurou para contratá-lo depois daquele episódio?
Até a mim, nunca chegou nada do Corinthians não. Já se passaram dez anos e me identifiquei legal com o São Paulo e acho que por isso, de repente, eles nunca se interessaram pelo meu futebol.

L!Net – O Corinthians, aliás, está precisando de um centroavante. Se não você, quem indica para o Timão? Alguém que atua no exterior e que não tem o valor que merece no Brasil?
Eu estou feliz aqui em Dubai e não pretendo voltar para o Brasil agora. Portanto, teria que ser um outro centroavante. Tem muitos jogadores bons pelo mundo e imagino que a diretoria do Corinthians, se achar que tem essa necessidade, vai trazer um com qualidade.

L!Net – Qual o último clube brasileiro que o procurou? E por que não deu certo sua volta ao Brasil?
Toda janela de transferência tem clubes que vêm sondar. Mas, eu estou feliz aqui em Dubai, aonde esse ano temos uma boa chance de ganhar a Liga, e pretendo continuar por aqui.

L!Net – Você foi vítima de racismo quando jogava pelo São Paulo, no caso Desabato (em jogo São Paulo x Quilmes-ARG, no Morumbi). Só neste ano, três casos chamaram atenção e provocaram revolta: Tinga, pela Libertadores, xingado no Peru; o árbitro Márcio Chagas da Silva em jogo pelo Campeonato Gaúcho; e Arouca, em Mogi Mirim, pelo Paulistão. Que atitude deveriam ser tomadas para diminuir ou encerrar ações racistas no futebol?
É ainda incrível e inadmissível que esse tipo de coisa ainda acontece em nossa sociedade. O que acontece no estádio de futebol é um reflexo de nossa sociedade. Acho que precisamos tratar esse assunto sério e trabalhar para erradicar de vez isso.