icons.title signature.placeholder Amélia Sabino e Igor Siqueira
05/11/2013
18:22

O governo do Rio justificou o cancelamento da Soccerex deste ano, que aconteceria no Maracanã, para que "o patrocínio não tivesse como fonte de recursos o Tesouro Estadual", conforme nota divulgada pela Secretaria de Esporte e Lazer.  Nela, o governo afirma que fez uma recomendação para que os organizadores da feira procurassem as Leis de Incentivo ao Esporte e à Cultura para financiar o evento.

O governo ainda rechaçou qualquer problema com garantia de segurança por causa de protestos populares para a realização da Soccerex, como havia sido divulgado na nota dos organizadores mais cedo.

Nas três edições anteriores, o governo estadual foi o principal patrocinador da feira esportiva. No pacote do apoio constavam royalties, gastos com infraestrutura e montagem do evento, além de transporte e hospedagem dos palestrantes. Este ano, com a aprovação do governador Sérgio Cabral em queda após as manifestações populares, o apoio foi retirado e o próprio governador sugeriu que o evento acontecesse no Maracanã. Porém, os organizadores e o Complexo Maracanã S.A. não chegaram a um acordo sobre valor de aluguel.

Confira na íntegra a nota do governo:

"O Governo do Estado, através da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer e da Suderj, informa que recomendou aos organizadores da Feira de Esporte Soccerex a utilização da Lei de Incentivo ao Esporte e à Cultura para a captação de recursos e a realização do evento no RJ.

A recomendação do Estado foi feita para que o patrocínio à Soccerex não tivesse como fonte de recursos o Tesouro Estadual.

O Governo do Rio de Janeiro informa ainda: o Estado dispõe de todas as condições para acolher e garantir a segurança durante todo e qualquer evento a ser realizado no RJ. Registre-se, por exemplo, que a Copa das Confederações e a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) ocorreram neste 2013 com plena segurança no Rio de Janeiro."