icons.title signature.placeholder Michel Castellar
09/07/2014
12:16

O governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, disse que a capital federa receberá a Seleção com carinho para a disputa do terceiro lugar da Copa do Mundo, no sábado, no Estádio Nacional de Brasília - Mané Garrincha. De acordo com o político, o momento é o de incentivar a equipe e não para desanimar.

- Brasília receberá a seleção brasileira com muito carinho como recebemos um filho quando perde o jogo na escola - escreveu o governador do DF, em seu perfil de relacionamento social no twitter.

Triste pela goleada, por 7 a 1, sofrida pelo Brasil para a Alemanha, pela semifinal da Copa, Agnelo pediu que todos sigam de cabeça erguida, porque a partida não representou a força do futebol brasileiro. Em seguida, o político declarou amor incondicional à Seleção.

A disputa do terceiro lugar fará com que a Seleção volte a atuar no estádio mais caro da Copa. O Brasil jogou no Mané Garrincha na última rodada da fase de grupos, contra o Camarões, e obteve um triunfo por 4 a 1.

A construção e os custos do Mané Garrincha continuam a ser discutidos na Justiça. O governdo do DF informou que o estádio custa R$ 1,4 bilhão mas o valor cairá para R$ 1,2 bilhão, após a aplicação de todas a insenções fiscais previstas pelo Regime Especial de Tributação para Construção, Ampliação, Reforma ou Modernização dos Estádios de Futebol (Recopa).

O Tribunal de Contas do DF afirmou que já foram gastos no estádio R$ 1,6 bilhão e que ainda faltam somar mais R$ 300 mil de gastos, que totalizarão R$ 1,9 bilhão. A certeza é a de que o investimento no Mané Garrincha ultrapassará R$ 2 bilhões, principalmente, porque várias obras ainda não foram contbilizadas oficialmente, como a construção de um túnel que ligará o Centro de Convenções Ulysses Guimarães ao estádio.