icons.title signature.placeholder Thiago Fernandes
03/03/2014
09:41

Artilheiro do Cruzeiro na conquista do Brasileirão, com 10 gols, e titular absoluto sob a batuta do técnico Marcelo Oliveira, Ricardo Goulart tem credenciais suficientes para ser um dos nomes mais badalados da Raposa na atual temporada. Ele chegou ao clube, em janeiro do ano passado, sem esta pompa, mas aos poucos conquistou a confiança dos torcedores e se aproxima do rótulo de ‘xodó’.

Na última terça-feira, ao marcar três gols contra a Universidad de Chile no primeiro encontro do time com a torcida na Copa Libertadores, o meia-atacante findou um jejum de sete jogos e, de quebra, assumiu a liderança isolada da lista de goleadores do elenco.

Ricardo Goulart, contudo, negligencia o bom momento individual e valoriza o coletivo. Ele destaca que, diante da La U, o Cruzeiro recuperou o futebol que encantou o Brasil na temporada anterior.

– A gente vem mostrando um bom futebol. Agora a gente vai ser cobrado por isso. Se ganhar de 1 a 0, a imprensa vai falar que o Cruzeiro está mal. Então, a gente tem que provar e tentar vencer todas as partidas. A gente sabe que é muito complicado, mas também sabe que o time tem totais condições de atingir este objetivo – declarou.

Dois dias após a goleada do Cruzeiro na Copa Libertadores, Ricardo Goulart atendeu à reportagem do LANCE!Net e falou sobre o desempenho na partida, as metas traçadas para 2014 e as chances do time na competição internacional.

Confira, abaixo, o bate-bola com o apoiador:
L!Net: Como foi marcar os três gols contra a Universidad de Chile?
Foi emocionante. Fazer o primeiro gol no começo da partida já é emocionante, mas depois vieram o segundo e o terceiro. Vai ficar marcado na minha carreira, porque fiz uma boa partida, juntamente com os meus companheiros.

L!Net: Você fez três gols típicos de centroavante. Sente-se à vontade nesta função?
O Marcelo tem optado por me colocar nesta posição em alguns jogos. É lógico que vou dar o meu máximo, mas eu não tenho características de um atacante de ofício mesmo, como o Marcelo Moreno ou Borges. Sou mais um meia-atacante mesmo. Se o Marcelo precisar me utilizar no ataque, faço o meu máximo. Fiquei muito feliz pelos três gols que marquei na terça-feira e satisfeito pelo trabalho. Agora tenho que pensar no Estadual.

L!Net: Os três gols foram uma resposta para quem questionou suas atuações?
Não. Eu sei dessa situação. A gente é avaliado a cada partida, eu mesmo estava me cobrando. Mas tinha total confiança em mim, sabia que uma hora as coisas iriam melhorar. Nada mais justo que, como fruto do meu trabalho, eu fazer os três gols nesta partida da Copa Libertadores, que é muito importante.

L!Net: Crê que vinha de um mau momento?
Não acho que estava jogando mal, só faltavam os gols aparecerem. Isso estava me incomodando. O pessoal viu o Ricardo Goulart balançar as redes várias vezes. Infelizmente, no começo da temporada, não consegui, mas marquei na Libertadores e espero dar sequência a esse trabalho.

L!Net: Desde que chegou ao Cruzeiro, você está acostumado a ser um dos artilheiros do time. Isso lhe motiva?
É uma confiança a mais. Mas nunca foi o meu forte, ser artilheiro das competições. As coisas estão acontecendo e eu fico muito feliz com isso. Se eu puder ser novamente o artilheiro do Cruzeiro em alguma competição ou nesta temporada, vou lutar para que as coisas possam acontecer.

L!Net: Você estipula uma média de gols na temporada?
Não estipulo uma média. As coisas vão acontecendo e a gente vai levando, mas sempre com os pés no chão. Preciso manter o meu trabalho.

L!Net: Tem uma meta pessoal para a temporada?
Fazer boas partidas, boas atuações, gols em decisões... Essas são as minhas metas pessoais. É claro que ser campeão com o Cruzeiro está dentro dos meus objetivos para esta temporada também.

L!Net: A goleada credencia o Cruzeiro ao título da Libertadores?
Sempre vamos lutar pelo título. Vamos entrar nessas competições para ganhar. A gente tem condições de buscar em qualquer torneio. Vamos trabalhar, mas sempre respeitando os adversários para que isso possa acontecer.

L!Net: Qual é a principal dificuldade quando você tem que ser o homem-gol do time?
Eu não sou o homem-gol não (risos). Só estou ajudando a equipe da forma que posso. Já atuei de atacante muitas vezes e sei como lidar quando atuo por ali. Sempre que atuo ali na frente, converso com o (Marcelo) Moreno e o Borges. Tento fazer o meu máximo para ajudar a equipe a sair com as vitórias.

L!Net: Como foi ter o seu nome gritado pela torcida na vitória sobre a Universidad de Chile?
Todo jogador sonha em disputar uma competição muito importante, com o estádio lotado e ser ovacionado. Foi emocionante, gratificante. Tenho um carinho imenso por essa torcida, que está nos dando muito apoio, incentivando e depositando a sua confiança. Espero retribuir com muitos gols e títulos pelo Cruzeiro.

L!Net: O que fazer para manter o mesmo nível fora de casa na Libertadores?
É questão de trabalho e confiança. Agora a gente vai jogar contra o Defensor (Sporting), vai ser difícil. Vamos pensar jogo a jogo. A gente tem total condições de chegar ao Uruguai e vencer, mas sabemos que será um jogo duro. Depois podemos pensar nas outras partidas.

L!Net: Pelo equilíbrio visto no grupo do Cruzeiro, crê que esta é a chave mais difícil?
Embolou tudo. A gente sabia das dificuldades desse grupo. Se a gente perdesse para a Universidad de Chile, iria complicar ainda mais. A gente está com a vantagem do saldo de gols, o que faz muita diferença. Vai embolar mais ainda, mas esperamos que a gente possa ter boas atuações no restante dos jogos de classificação.

L!Net: Antes do jogo contra La U, o Marcelo disse que deposita muita confiança em você. Como avalia isso?
Eu fico muito feliz pela confiança do Marcelo. É um dos treinadores que mais me deu confiança. Eu sempre tenho que mostrar o porquê estou no Cruzeiro. A cada dia a gente tem que matar um leão. Então, eu fico muito feliz pela confiança que ele me deu. Nada mais justo que eu mostrar isso para ele com gols, boas atuações e vitórias.

L!Net: Contra a Universidad de Chile, o Cruzeiro mostrou o futebol de 2013, quando foi campeão brasileiro?
Sim, a gente vem mostrando um bom futebol. Agora a gente vai ser cobrado por isso. Se ganhar de 1 a 0, a imprensa vai falar que o Cruzeiro está mal. Então, a gente tem que provar e tentar vencer todas as partidas. A gente sabe que é muito complicado, mas também sabe que o time tem totais condições de atingir este objetivo.

L!Net: Crê que pode ser o artilheiro da Libertadores?
Está cedo ainda para dizer isso, mas a gente sabe que ainda assim está próximo. Vou lutar para isso, trabalhar para isso, quero realizar um sonho, ser artilheiro da Libertadores. Vai ser muito importante para mim, para os meus companheiros, porque a gente pode chegar até a final e ser campeão.