icons.title signature.placeholder Eduardo Mendes
14/11/2014
10:57

Há sete anos na Europa e com passagens pelas Seleções de base, Diego Alves se apega um problema que teve no passado e usa como exemplo de superação para entrar na disputa por uma vaga no gol do Brasil.

Quando era criança, o goleiro teve problemas com a balança devido a um tratamento que fez.

- Era gordinho. Normal quando você é pequeno e passa por esse tipo de transformação. Tive também uma paralisia facial e tive de fazer um tratamento a base de corticóide. Isso facilitou um pouco para ganhar muito peso. Depois fui crescendo, perdendo peso e crescendo normal como todos - contou o jogador.

Convocado por Mano Menezes quando o técnico dirigia a Seleção e com apenas oito jogos no histórico com a camisa da equipe principal do Brasil, Diego descarta o rótulo de novato e lembra que já teve chances até mesmo com Dunga.

- Fui com Dunga antes na Copa América, pré convocado. Mas jogar mesmo foi com Mano só. Na época, em 2008, eu lembro que estava em algumas convocações com o Dunga na principal, mas era em preparação para os Jogos Olímpicos - comentou.

Titular contra a Turquia e elogiado por Dunga, o goleiro, agora, espera ganhar uma sequência e voltar a frequentar novamente a lista de convocações do técnico visando a Copa de 2018.

- A cada partida você precisa mostrar condição que pode servir a Seleção. A responsabilidade que levamos por ser goleiro é muito grande, mas acredito que neste momento estou preparado para assumir isso - garantiu Diego.