icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
27/04/2014
19:55

Já que não deu para virar goleiro profissional, o engenheiro civil José Fernandes, 36 anos, decidiu ao menos virar um "profissional' quando se trata de luvas de goleiros.

Apaixonado por goleiros, Zezão, como ele é mais conhecido entre os amigos, possui uma das maiores coleções de luvas de goleiros do Brasil, senão a maior. São cerca de 90 pares de luvas em sua coleção pessoal.

- Minha paixão pelo gol e pela atuação dos goleiros começou na década de 90, quando nós tínhamos no futebol paulista simplesmente os três melhores goleiros do Brasil. Era tempo de Velloso, no Palmeiras; Ronaldo, no Corinthians; e Zetti no São Paulo - lembra o apaixonado pelo assunto.

Esse trio de grandes arqueiros inspirou Zezão, que a princípio resolveu tentar a sorte no gol. mas não foi muito feliz.

- Vendo esses três fenômenos no gol, eu resolvi me engraçar e me aventurar na posição. Não tinha qualidade suficiente para chegar ao profissional. Acabei abandonando o futebol para me dedicar aos estudos e me formei em engenharia cívil.

Engana-se, porém, quem acha que termina aí a história de amor entre Zezão e a posição de goleiro. Vinte anos depois, formado e consolidado na profissão, ele voltou a se dedicar ao tema e começou sua coleção.

Entre as peças de destaque, a coleção de Zezão conta com luvas usadas nas Copas do Mundo de 2006 e 2010, e da Eurocopa de 2012. E também possui um item bastante especial. Um par de luvas que ele mesmo mandou confeccionar. Personalizadas, levam a inscrição JF 01, em alusão ao seu nome e ao número 1, mas utilizado como 01, da mesma forma que o ídolo Rogério Ceni utiliza a numeração em suas camisas no gol do São Paulo.

- Depois de muito tempo colecionando, eu vi que era possível fazer uma luva minha personalizada. Sem interesse comercial, de vender nem nada. Comecei a fazer a luva José Fernades, que foi batizada de JF 01. O 01 é em homenagem ao mito Rogério Ceni - detalha Zezão.

O critério para aquisição das luvas é simples. Ele vê os goleiros com elas na TV e, se gostar, vai atrás para adquirir ou conseguir o produto.

- Eu vejo um goleiro jogando na TV. Eu observo as luvas. Se achar legal e bacana, é uma que merece ir para o acervo - explica.

Solidário, José Fernandes doa para outros goleiros as luvas que não servem mais para ele.

Atualmente, Zezão voltou a vivenciar o ambiente dos goleiros. Ele treina toda semana na Academia de Goleiros que o ex-arqueiro Zetti mantém no Clube Banespa, em São Paulo. Ele também defende o gol de um time de várzea em São Paulo. E, enquanto isso, sua coleção só vai aumentando.