icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
09/02/2015
12:26

A derrota acachapante para o Atlético no sábado deixou feridas no Real Madrid. E elas ficaram ainda maiores com a festa dada por Cristiano Ronaldo para comemorar seu aniversário de 30 anos, horas depois do vexame no Vicente Calderón. Jornais da capital espanhola não pouparam os Madridistas de críticas.

E não foram apenas os periódicos que bombardearam o clube e os jogadores. Nas redes sociais, a hashtag #lafiestadeladeshonra (#afestadadesonra) ficou todo dia nos trending topics (mais comentados) do Twitter neste domingo a partir das 12h, permanecendo por todo o dia.


O "Marca", de Madri, estampou em sua capa o título 'Sem mais músicas', e cita que o Real entra em estado de emergência. A publicação diz que o presidente Florentino Pérez, que teria tentado brecar a festa de CR7, ficou bastante irritado, e o técnico Ancelotti iria pedir explicação aos jogadores. A comemoração do craque também foi alvo de críticas.


Já o diário "As", também da capital espanhola, fala da má atuação do trio ofensivo, formado por Cristiano Ronaldo, Bale e Benzema, e mostra números da pífia partida dos três. Sobre a festa, o jornal relata que o elenco estaria dividido por causa da festa do português. O "Mundo Deportivo", de Barcelona, trata os festejos do Melhor do Mundo como a 'festa da vergonha'.


Jornais de Madri não perdoaram o Real após a goleada sofrida e a festa de CR7

Cristiano Ronaldo convidou todos os jogadores do elenco do Real para sua festa de aniversário. No entanto, alguns se sentiram envergonhados e sem nenhum motivo para comemoração após a goleada no dérbi, por 4 a 0. Nomes como Marcelo, Coentrão, Pepe, Keylor Navas, James Rodríguez, Khedira e Modric foram parabenizar CR7. Hierro e Paul Clement, da comissão técnica, também estiveram presentes, para unir o grupo diante do duro golpe no Calderón.

E MAIS
- Sensação do futebol inglês, Harry Kane entra na mira do Real Madrid
- Cristiano Ronaldo teria ficado furioso com fotos vazadas de seu aniversário

Do outro lado, aqueles que se recusaram a ir, estavam os espanhóis, talvez os mais 'sentidos' com o vexame do Real. Sergio Ramos, Jesé, Nacho, Carvajal, Arbeloa, Illarramendi, Isco e Casillas não foram à festa, assim como Varane, Lucas Silva, Bale, Chicharito, Benzema e Kroos, que postou no Twitter: 'Ainda muito irritado com a derrota'.

Porém, fotos da comemoração caíram nas redes sociais, principalmente por culpa de Kevin Rondán, contratado por CR7 para animar sua festa. E as imagens da descontração dos jogadores presentes contrastavam com a humilhação de horas antes no Vicente Calderón. Em uma delas, Marcelo, James e Navas, que não jogaram, estampavam um sorrido de orelha a orelha ao cantar uma música do artista.

A presença do colombiano também foi muito criticada, por ele ter operado o pé há apenas dois dias. Pepe e Modric também estão lesionados e não entraram em campo diante do Atlético.

Cristiano Ronaldo deixou o Calderón olhando o relógio, como se contasse as horas para sua comemoração, e esquecendo-se da frustrante participação em campo. Mas os torcedores do Real Madrid perceberam qual era a verdadeira preocupação, ao gritarem 'que vergonha' na saída do jogador do gramado.