icons.title signature.placeholder Valdomiro Neto
14/06/2014
16:47


A França entrará em campo contra Honduras com Benzema e Giroud juntos? O técnico Didier Deschamps optou por não abrir o jogo, embora não tenha dúvidas dos 11 titulares para a partida deste domingo contra Honduras, no Beira-Rio. O tom misterioso foi a opção escolhida pelo comandante gaulês quando perguntado na entrevista coletiva pré-jogo deste sábado, no estádio do Internacional.

O técnico da França driblou também a todo momento perguntas sobre o desempenho da seleção de sua país no Mundial da África do Sul, quatro anos atrás. Ao ser perguntado sobre isso, 'fingiu-se' de morto e ressaltou foco na Copa em território brasileiro.

- Eu não entendi a pergunta toda, mas ouvi "África do Sul", o que já é o bastante. Isso faz quatro anos... Nós estamos na Copa do Mundo do Brasil. A imagem que se passa é a da performance em campo. É um imenso prazer o ambiente com os jogadores desta equipe. Os jogadores precisavam disso, e a coisa mais importante é que se passará amanhã (domingo) às 16h contra Honduras.

A campanha francesa no Mundial de 2010 foi vexatória, com a equipe sendo eliminada na primeira fase e sem conquistar nenhuma derrota e fazer apenas um ponto, no empate com o Uruguai na estreia. Para piorar, houve problemas do grupo com o técnico de então, Raymond Domenech, em especial com o jogador Nicolas Anelka. 

Ao lado de Jurgen Klismann, comandante da seleção dos Estados Unidos, Deschamps é o único treinador na atual edição do Mundial que conquistou uma Copa como jogador. Foi em 1998, na única taça arrebatada pela equipe gaulesa na história - o alemão que dirige o time americano foi campeão em 90, na Itália. Para o treinador francês, esse dado não influencia em nada:

- Sinceramente, isso não muda grandes coisas nem para mim nem para ele. O que os jogadores vão viver, eu já vivi. Isso faz parte de uma primeira vida. O mais importante é fazer de tudo para que os jogadores estejam nas melhores condições. 

TEMPERATURA AGRADÁVEL

As oscilações de temperatura em território brasileiro também foram um tema citado na coletiva de Deschamps. O técnico mostrou-se contente em encontrar os ventos gelados e a chuva que atingem Porto Alegre nos últimos dias.

- Ter uma temperatura doce - com ou sem chuva - é melhor pro organismo e o espetáculo. Quando faz muito calor, é muito duro repetir o máximo do esforço - pontuo o treinador, cuja equipe tem feito a preparação na cidade de Ribeirão Preto, interior de São Paulo, onde costuma ser mais quente. 

Deschamps considera todo jogo do Mundial difícil por ser uma competição em que "todas as equipes tem um valor internacional". Dessa forma, não quis mencionar favoritos e citou as dificuldades de Espanha e Brasil nas suas estreias.

- O primeiro jogo é sempre difícil, Não foram todos que tiveram o mesmo tempo de preparação, é necessário um tempo de adaptação. E depois, há quatro anos, embora não tenha sido por 5 a 1, como ontem (sexta) contra a Holanda, a Espanha havia perdido seu primeiro jogo - para a Suíça. Olhem o Brasil, que também não teve um jogo fácil contra a Croácia. Uma Copa do Mundo é assim. 

A França encara Honduras neste domingo, às 16h, no Beira-Rio, em Porto Alegre, pela primeira rodada do Grupo E da Copa do Mundo.'