icons.title signature.placeholder Thiago Fernandes
16/07/2014
18:25

A negociação envolvendo a permanência de Willian no Cruzeiro era repleta de mistérios. A oferta de € 4 milhões, de forma parcelada, foi aceita pelo Metalist Kharkiv (UCR), detentor dos direitos do atacante, mas a maneira que o clube ucraniano deseja receber o montante é o que impede o desfecho positivo.

O presidente Gilvan de Pinho Tavares atendeu à imprensa nesta quarta-feira, após o treino da equipe no Mineirão, e revelou que a cúpula da agremiação europeia pretende que a Raposa realize o pagamento em contas sediadas em ‘paraísos fiscais’.

– Formas diferentes de pagamento, em vez de pagar o valor econômico, pagar valor de imagem. Tem pedido de pagar em paraíso fiscal, mas não faremos nada disso. Será feito o pagamento diretamente ao clube. O dinheiro que sai daqui ele é taxado pelo Governo Federal. Temos que achar uma forma de esse dinheiro entrar legalmente na contabilidade do Cruzeiro. Não faremos de outra maneira – disse o mandatário cruzeirense, que segue confiante na permanência do jogador:

– A diretoria do Cruzeiro fez esse esforço todo e possivelmente vai ficar com o Willian. Queremos encontrar uma forma que não possa ser criticada depois. Não existe a compra de direito de imagem do atleta. Eles procuram uma fórmula ainda. O atleta segue treinando no Cruzeiro, já que eles autorizaram essa situação.

Na tentativa de acelerar o andamento das tratativas, o Cruzeiro entrou em acordo com o atleta antes de se acertar com o Metalist. Gilvan de Pinho, portanto, crê que o desfecho acontecerá rapidamente:

– É uma definição muito rápida – concluiu.

O LANCE!Net tentou contato com Jader Brazeiro, representante do clube ucraniano no Brasil. Ele, todavia, não atendeu às ligações da equipe de reportagem para falar sobre o pedido dos dirigentes do Metalist.