icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
07/11/2014
19:37

Está definido. Atlético-MG e Cruzeiro terão 10% dos ingressos para as finais da Copa do Brasil destinados aos visitantes. No primeiro jogo, 2.302 torcedores no Independência serão celestes. No confronto da volta, cerca de seis mil alvinegros poderão comparecer ao Mineirão. A medida foi decidida nesta tarde de sexta, em reunião na Federação Mineira de Futebol, mas contou com momentos de divergências, principalmente por conta do presidente estrelado, Gilvan de Pinho Tavares, que cobrou de Alexandre Kalil o descuprimento de uma promessa feita pelo mandatário avinegro.

- Hoje tivemos a surpresa de receber a noticia de que ele (Alexandre Kalil) não ia honrar com sua palavra e ia querer os 10%. Achei isso um desaforo. É alguém querer levar uma vantagem ilícita. Se o Cruzeiro não utilizar os 10% no Independência e o Atlético utilizasse no Mineirão, seria dois pesos e duas medidas. Estaria faltando com a torcida do Cruzeiro. Então eu tive que exigir também - comentou Gilvan.

MAIS:
> Rivais mineiros terão 10% dos torcedores na condição de visitantes
> Cruzeirenses já esgotam ingressos de R$200 para final no Mineirão
> Cruzeiro recebe Criciúma e L!Net cita motivos para o torcedor ir ao Mineirão

Por conta do mau comportamento de seus torcedores em um clássico realizado no Independência, o Cruzeiro passou a abrir mãos dos 10% dos ingressos nos clássicos do Horto. No último confronto entre os rivais no Mineirão, a torcida do Atlético-MG também protagonizou cenas lamentáveis no interior do estádio, o que levou Alexandre Kalil a também abrir mãos dos ingressos como visitantes nos clássicos seguintes.

- Eu tenho tido uma postura e mantido minha palavra de que não faria jogo com torcida divida em 10% para que o Cruzeiro não corresse o risco de perder mando de campo e provocar aquele incidentes horríveis que aconteceram em jogo anteriores. Estive com o presidente do Atlético-MG no STJD e ambos garantimos essa tranquilidade à população mineira de que não jogaríamos com duas torcidas para evitar incidentes horrorosos como aqueles - acrescentou.

Diante da decisão pela presença da torcida visitante, Gilvan ainda exigiu que o clube alvinegro compre os bilhetes destinados ao Atlético-Mg na partida do Mineirão.

- No jogo passado, o presidente do Atlético me telefonou e me pediu que cedesse os 10% dos ingressos para ele lá no Mineirão e me disse o seguinte 'você sabe que os clubes tão passando dificuldade, e eu não tenho o dinheiro para te adiantar. Você poderia me ceder os 10% dos ingressos, que eu, vendendo, te mando o valor'. Eu falei 'pois não, acredito em você'. E mandei os ingressos. Eles só venderam para a torcida organizada e eles aprontaram aquela bagunça. Pagaram só os que venderam, muito menos do que os 10%, e só venderam meio ingresso - relembrou Gilvan. Na ocasião, o Atlético-MG venceu o Cruzeiro no Mineirão por 3 a 2 e a torcida atleticana compareceu com pouco mais de dois mil torcedores no estádio, número bem abaixo dos seis mil lugares disponíveis.