icons.title signature.placeholder Renato Rodrigues
06/11/2013
12:00

Um dos xodós da torcida do Corinthians, apesar de um segundo semestre não tão bom da equipe, o zagueiro Gil vai reencontrar um rival de infância: o Fluminense. O carioca de Campos dos Goytacazes, que não revelou por qual time torcia, sabe que terá dificuldades no duelo do próximo domingo, na Arena Fonte Luminosa, em Araraquara (SP).

Isso porque o time das Laranjeiras briga rodada a rodada do Brasileirão contra o rebaixamento. Atualmente, é o primeiro fora da zona do descenço. E uma derrota para o Timão pode colocar o Tricolor entre os quatro últimos. Mesmo sendo "rival", Gil não falou sobre gosto especial.

- O Fluminense já foi rival... Mas eu não tinha muita paixão. Não torcia para ninguém. Meu pai era Flamengo, mas eu nem ligava - brincou o camisa 4 alvinegro.

A chance de empurrar o time que não torcia para a zona da degola seria maior se Gil fizesse gols. Ele admite que a seca pela qual passa desde que chegou ao Corinthians já o incomoda. São 65 jogos pelo time do Parque São Jorge e nada de balançar as redes. A última vez aconteceu ainda pelo Valenciennes (FRA), no dia 1º de setembro de 2012.

- O gol vai sair naturalmente. Estou tendo algumas oportunidades e o pessoal até brinca comigo. Falam que vou fazer 200, 300 jogos no Corinthians e nenhum gol. Quando menos esperar, vai sair - explicou o beque, que insiste diariamente nos treinos de finalizações e cabeceios no CT.

- Vou te falar: incomoda um pouco. Até em casa já tem cobrança. Meu filho fala: ''Papai, gol de cabeça". Fico um pouco triste de não poder fazer gol e ajudar meus companheiros. Ao mesmo tempo, fico tranquilo porque sei que estou trabalhando certo e na hora vai sair. Falo para o Carlos Gilberto (filho) se acalmar um pouco, pois na hora certa vai sair - concluiu.