icons.title signature.placeholder Felipe Bolguese e Rodrigo Vessoni
23/07/2014
08:02



O Bahia tem uma missão difícil nesta quarta-feira, a partir das 22h, na Arena Corinthians, pela terceira fase da Copa do Brasil: não ser o 51º adversário do Timão a passar em branco com a presença de Gil na zaga.

Nas 99 partidas disputadas pelo zagueiro, que alcançará a marca centenária hoje pelo Alvinegro, o rival não conseguiu fazer gols em 50. Foram 38 partidas sem ser vazado no ano passado e outras 12 na atual temporada. Vale lembrar que o regulamento do torneio nacional dá peso maior aos gols marcados fora de casa, ou seja, não ser vazado pelos baianos é fundamental hoje à noite.

– Vai ser uma partida difícil, o Bahia já mostrou que tem qualidade. Em um jogo como esse, a gente vai fazer o máximo para não levar gol porque sabe que o pessoal lá na frente vai fazer – afirmou o defensor, elogiando os companheiros de ataque.

Gil completará 100 jogos pelo Corinthians após um período relativamente curto no clube. E não é para menos. Apesar de ter menos de duas temporadas – chegou em janeiro de 2013 –, o zagueiro é daqueles que quase não saem de campo. Para se ter uma ideia, desde sua estreia, foram apenas seis jogos de ausência, sendo duas por cumprimento de suspensão por cartão vermelho (abaixo).

L!TV:
> Gil revela que renovação com o Corinthians está próxima

Apesar da sequência de jogos e do clássico contra o Palmeiras no domingo, Gil não quer saber de ser poupado. Nem quer ver isso dos outros.

– Temos condições de brigar pelo título do Brasileiro e brigar também pelo título da Copa do Brasil – disse.

GIL NO CORINTHIANS:

Dentro de campo:
2013 - 70 jogos
27V, 28E, 15D

2014 - 29 jogos
16V, 8E, 5D

Jogos sem levar gol com Gil em campo:
2013: 38 jogos
2014: 12 jogos

Ausências nas duas temporadas:
2013
5 jogos

2014
1 jogo

Aproveitamento da equipe com ele:
57,2%

Minutos em campo:
8.861

Cartões amarelos:
7

Cartões vermelhos:
2

BATE-BOLA COM O CAMISA 4 DO TIMÃO:

‘A marca (100 jogos) é gratificante. Espero atingir os 200, 300, 400...’

Como é saber que completará a marca de 100 jogos com a camisa do Corinthians contra o Bahia?
É muito graficante saber que farei essa centésima vez. Desde que cheguei aqui no Corinthians, eu me empenhei ao máximo para estar em campo, fico bastante feliz por essa marca. Desde que cheguei ao clube fui bem recebido por todos, espero cada dia mais estar pronto para atingir 200, 300, 400...

Como analisa as opções que o Mano tem para o setor de defesa? Tinha você, Cleber e Felipe, agora chegou o Anderson Martins...
Quem chega ao Corinthians, chega para ajudar. Da mesma forma ocorreu quando eu cheguei aqui, tinha quatro grandes zagueiros. Quem o Mano escolher tenho certeza que fará seu melhor para nosso grupo. Há uma competição sadia dentro do nosso grupo, que tem bastante qualidade.

O Corinthians é o segundo do Brasileirão. É uma boa posição ou poderia estar mais perto do Cruzeiro, que abriu cinco pontos?
Sempre dá para melhorar! O que a gente tem feito é resultado do nosso treinamento, buscamos nosso melhor em campo.Haverá jogos que não dará tão certo, como foi diante do Vitória, mas sempre daremos nosso máximo.

Vaga na Libertadores ou título?
A nossa prioridade é brigar pelo título, sabemos que o Cruzeiro está na frente com cinco pontos de vantagem, mas temos um grupo forte para tirar essa vantagem. Estamos dando o melhor em todas as rodadas em busca das vitórias e esperamos pontuar e tirar essa vantagem para o Cruzeiro. Temos que brigar pelo título do Brasileiro e brigar também pelo título da Copa do Brasil. Nós temos um bom elenco. O mais importante é a gente não deixar de pontuar em todas as rodadas.

Em relação ao confronto com o Bahia pela Copa do Brasil, o que dá para imaginar em relação à postura deles na Arena Corinthians?
Acompanhamos o empate deles com o Atlético Mineiro lá da concentração, é uma equipe de qualidade, tem atletas de qualidade. Mas sabemos da nossa força e estaremos bem preparados.