icons.title signature.placeholder Bruno Cassucci e Russel Dias
14/02/2015
08:06

Autor de dois gols e com boas atuações nas primeiras quatro rodadas do Paulistão, Geuvânio começou 2015 voando. O camisa 45 tem sido elogiado pela crítica, ovacionado pela torcida e foi apontado por Robinho como principal jogador do Santos. Cenário difícil de imaginar há alguns meses, quando vivia momento ruim, que só foi superado com a ajuda do técnico Enderson Moreira.

Quando o treinador chegou ao Peixe, em setembro do ano passado, o meia-atacante já havia deixado de ser a sensação do Paulista e passado a ser a decepção do segundo semestre. Após iniciar bem 2014, ele caiu de rendimento e foi para a reserva com Oswaldo de Oliveira. Enderson se preocupou e, ao lado de Luiz Flores, seu auxiliar, teve uma conversa com o garoto. Depois, aos poucos, o Caveirinha, como é chamado no elenco alvinegro, foi voltando ao time, retomando a boa forma e, então, retribuiu a confiança do comandante santista.

Na “era Enderson”, quando Geuvânio foi titular o aproveitamento foi de 82% dos pontos, tendo sido derrotado apenas uma vez. Por outro lado, quando o Menino da Vila esteve ausente, o desempenho foi de menos que a metade: 39% e sete revezes.

Não por acaso o treinador alvinegro lamentou muito a lesão do meia-atacante no fim do ano passado, quando ele não pôde enfrentar o Cruzeiro na semifinal da Copa do Brasil. E também não por acaso Geuvânio não saiu mais do Santos.

Neste sábado, às 17h, contra o São Bernardo, no Estádio Primeiro de Maio, ele será titular de novo. O objetivo é manter a invencibilidade do Peixe no Paulistão, mas para o “técnico coruja”, Geuvânio pode ir muito mais longe.

– Pode ter certeza de que o Geuvânio é muito cobiçado. Todos os treinadores gostam do dele, porque ele é rápido e finaliza bem. É um dos grandes jogadores que temos. Em algum momento vai chamar mais a atenção. Acho que o Geuvânio fatalmente vai estar na lista de alguns scouts que percorrem o mundo atrás de jovens talentos. Vai da maturidade. Ele tem muito a crescer ainda, mas tem o que os clubes buscam, principalmente na Europa.