icons.title signature.placeholder Guilherme Borini
12/07/2014
15:33

O pesadelo do Vasco com a camisa 1 parece ter acabado. Após atuações inconstantes e revezamento de goleiros na temporada passada, desde a saída de Fernando Prass, no fim de 2012, o clube parece estar bem servido na posição. A começar pelo titular: Martín Silva, que foi convocado para a Copa do Mundo pela seleção do Uruguai. O atleta chegou no início do ano e já caiu nas graças da torcida. Além dele, outros quatro goleiros trabalharam com o elenco no período de treinamentos durante a paralisação para o Mundial: Jordi e Gabriel Félix, das categorias de base, além de Diogo Silva e Rafael Copetti.

Gabriel Felix será o titular dos juniores na Taça BH, torneio que o clube tentará o bicampeonato nesta temporada. Os outros três arqueiros deverão continuar no elenco principal brigando por posição, pelo menos é a intenção do preparador de goleiros Carlos Germano.

- Vejo esses meninos jogando aqui no Vasco, sou contra emprestar. Tudo é questão de tempo. Estão aí para brigar e querem a vaga deles também. E questão de paciência. Se for sair de Vasco para jogar em um Santos, Botafogo ou Cruzeiro, por exemplo, é uma coisa. Mas para jogar em um time de menor expressão, com todo respeito, menos estruturado do que o Vasco, é outra coisa. Eu estou com eles – garantiu o ídolo vascaíno. 

O nome de Jordi já foi gritado muito no ouvido do técnico Adilson Batista no ano passado. O jogador foi destaque do Vasco na Taça BH, defendendo quatro pênaltis durante a competição, e, em meio aos problemas com Alessandro, Michel Alves e Diogo Silva, no profissional, boa parte da torcida via no garoto a solução. Calado à época, Carlos Germano revelou que o jogador não tinha condições de jogo, por isso não foi aproveitado no time principal.

- O Jordi foi muito citado para jogar no ano passado, mas ele voltou da Taça BH com uma lesão no adutor e se recuperou a apenas seis jogos do fim do Brasileiro. Se ele tivesse voltado com ritmo de jogo, teria até estreado – revelou Germano.

Após ter sido destaque nos juniores, Jordi foi promovido em definitivo nesta temporada e se mostrou tranquilo à espera de uma oportunidade, que bateu na trave no ano passado.

- Tem que ter paciência, trabalhar, se dedicar e, quando a hora aparecer, tem que estar preparado. A gente já trabalha sabendo que vamos esperar. O Martín está ai, é um excelente goleiro. E eu, por ser novo, chegando agora também, tenho que esperar. Mas eu trabalho sempre com o pensamento de jogar, de ser titular. Todos os dias vou me preparar para o meu momento chegar – disse o jovem goleiro.

A outra jovem revelação que pode seguir os passos de Carlos Germano no Vasco é Gabriel Félix. Com 19 anos, tem trabalhado com os profissionais para ganhar experiência e está à disposição tanto dos juniores quanto da equipe principal.

- Sempre bom estar treinando com os mais experientes, melhor para voltar e jogar, me manter com ritmo. Me sinto bem, principalmente agora com essa experiência para descer para jogar mais seguro – disse.

Carlos Germano deu o recado a seus comandados.

- É preciso estar preparado, porque a oportunidade não avisa quando ela chega - avisou.

RECÉM-CONTRATADO, RAFAEL COPETTI BUSCA SEU ESPAÇO

Em meio à boa safra de goleiros revelados nas categorias de base do Vasco, Rafael Copetti, recém-contratado pelo clube, corre por fora para conseguir seu espaço. Com 24 anos, o atleta foi revelado pelo Internacional e estava no Benfica, de Portugal, onde não foi aproveitado. De volta ao Brasil, o jogador espera um recomeço no Gigante da Colina para, enfim, emplacar a carreira.

- Todo mundo quer jogar e claro que eu também quero. Quando as coisas não estão como a gente espera, qualquer profissional quer trocar, quer partir para uma outra coisa. É arriscar. A situação foi essa. Apareceu o Vasco, um grande clube e garanto para você: Qualquer jogador que tivesse querendo voltar para o Brasil e aparece um clube como o Vasco, não pensaria duas vezes – declarou Copetti.