icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
17/06/2014
18:59

Não foram apenas jogadores que deixaram o Criciúma neste início de intertemporada, mas também o gerente de futebol Guto Silva. O ex-dirigente fez um balanço de sua passagem pelo clube e explicou os motivos de sua saída.

- Os motivos da minha saída são que para tocar o departamento de futebol é necessário saber dizer não, não aceitar toda e qualquer situação de mercado, de comissão, de executivo para formar um grupo - destacou em entrevista ao 'FutebolSC'.

Além das causas apontadas, Silva apontou que Cláudio Gomes, atual diretor de futebol do time catarinense, poderia ter sido uma das motivações para sua saída do Tricolor.

E MAIS:
> Quer mandar bem no bolão da Copa? Confira estatísticas e recordes das seleções!
> Após recesso, preparador do Criciúma elogia condição física dos atletas
> Próximo de acerto, Zé Carlos deverá chegar a Criciúma nesta quinta-feira

- Acho que o Claudio é uma pessoa capaz de ser diretor de qualquer empresa de qualquer negócio, mas ele está com uma responsabilidade que é o futebol, que necessita de mais tempo para assumir determinadas decisões e que talvez para isso ele precise delegar e respeitar quem está a mais tempo no mercado. O cargo de direção não deveria ser um cargo para contratação e sim para decisão, e isso era uma das coisa que eu questionava e questiono.

Apesar das críticas, Guto Silva surpreendeu quando questionado se poderia voltar a trabalhar no Criciúma:

- A qualquer momento, desde que mudanças sejam feitas.

Contudo, no momento, fora do Tigre, o ex-gerente tricolor revelou que já tem propostas de outros clubes e em outras funções ainda ligadas ao futebol:

- Tive dois convites para sair a cerca de 15 dias. Um de um clube de Série A e outro de um grupo de investidores para ser observador deles aqui no Brasil. E esses devem ser o meu caminho nos próximos dias - finalizou.