icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
13/12/2013
17:33

Uma conferência de imprensa por telefone realizada na tarde desta sexta-feira colocou um ponto final (ou uma reticências) na dúvida sobre o futuro de Georges Saint Pierre no esporte. O canadense anunciou que fará uma pausa em sua carreira no MMA e, assim sendo, abdicou do cinturão meio-médio do UFC, após cinco anos como campeão da categoria. A decisão de não lutar mais é por tempo indeterminado.

Desde a última vez em que Georges Saint Pierre se apresentou no octógono, pelo UFC 167, em novembro passado, sua carreira se transformou em uma incógnita. Na ocasião, o lutador venceu Johny Hendricks após uma decisão polêmica dos juízes e, logo após o embate, ainda no octógono, o canadense falou sobre uma possível pausa na carreira, deixando os fãs apreensivos.

Com a clara intenção de se afastar do MMA, o lutador não se pronunciou desde então. No início desta semana, o mesmo agendou uma coletiva de imprensa no Canadá para falar sobre seu futuro. Em um movimento relâmpago, o Ultimate organizou uma conferência por telefone momentos antes para oficializar a decisão do agora ex-campeão dos meio-médios.   

- Conversei com Dana sobre continuar lutando. Tenho 22 lutas no UFC, 15 delas valendo título. São muitas críticas, muita pressão, e minha decisão é que eu preciso de um tempo longe do esporte. Estou abdicando do meu título. Um dia, quando estiver melhor, posso voltar. Mas, agora acredito que o melhor é ficar fora por um tempo. Estou deixando meu cinturão por respeito aos outros competidores do UFC - declarou o lutador.

Em sua última luta, St Pierre superou Hendricks em decisão polêmica (FOTO: Divulgação/UFC)

O canadense ainda analisou profundamente os motivos que o levaram a tomar a decisão de deixar o esporte por um tempo indeterminado e abandonar seu reinado. St Pierre afirmou que a decisão era pensada desde antes do UFC 167, quando venceu Johnny Hendricks.

- Aconteceu antes dessa luta. As pessoas não entendem. A situação em que estou é muita pressão. Toda luta sinto peso nas costas. E a cada luta ele aumenta. Para mim, agora, preciso de um equilíbrio mental. Sinto que não posso encarar mais uma preparação para luta tão cedo. São entrevistas o tempo todo, compromissos. Quando marco uma luta, não consigo pensar em outra coisa. Sou obcecado pelo meu trabalho. Estou fazendo isso em respeito aos meus adversários e pensando na minha vida. Preciso levar uma vida normal. Minha vida, no momento, é um zoológico maldito - desabafou o agora ex-campeão dos meio-médios.

Sobre uma possível volta ao Ultimate no futuro, Georges deixou as portas abertas e ainda comentou que não se importaria em disputar algumas lutas antes de disputar o título da categoria novamente, caso fosse necessário.

- Acredito que vá voltar um dia. O problema é que não posso me colocar treinando agora. Sinto que preciso de um tempo. Amo meu esporte. Nunca fui uma vítima e nem nada. Eu mesmo escolhi essa vida. Ninguém me forçou a nada. E uma vez que escolhi fazer, escolho não fazer também. É meu direito. Se um dia pensar em voltar, conversarei com o UFC. Se precisar lutar antes, farei isso antes do cinturão. Se for cinturão direto, o farei também, estarei preparado - avaliou o atleta.

Aos 32 anos, Georges Saint Pierre possui um cartel de 25 vitórias e apenas duas derrotas no MMA. O atleta está com o cinturão da categoria meio-médio desde de 2007 e já realizou nove defesas de título. A última delas, contra Hendricks, foi a mais difícil da carreira do canadense e o resultado foi muito contestado pelos fãs de MMA. Inclusive, o próprio presidente do UFC Dana White foi uma das figuras mais críticas à decisão dos juízes.