icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
17/07/2014
22:23

Ricardo Gareca tentou encontrar pontos positivos na derrota por 2 a 0 para o Santos, em sua estreia como técnico do Palmeiras: deu méritos ao rival, elogiou a disposição de seus jogadores e disse que há elenco para jogar melhor. Mas o argentino não consegue esconder que ainda espera por reforços.

- Faltaram jogadores que estiveram suspensos e lesionados. Penso que vão vir outros jogadores como reforços. Temos que melhorar para o próximo jogo (Cruzeiro, domingo, no Pacaembu), sobretudo no aspecto futebolístico. Gosto do time e do elenco que há, mas hoje não concluiu as situações que teve. O Santos ganhou bem, não tenho nada que dizer a respeito do resultado. O melhor do Santos aconteceu nos primeiros 30 minutos de jogos. Deixamos o Santos jogar. Temos que melhorar nesse aspecto - analisou.

- A diretoria está fazendo o que pode, tratando de contratar jogadores, mas não é fácil, é muito dinheiro. Eu tenho que trabalhar com os jogadores que estão aqui. Se penso nos reforços, não me concentro no time. Tenho que me concentrar no time - acrescentou o técnico.

O zagueiro Lúcio e o atacante Henrique estavam suspensos, enquanto o goleiro Fernando Prass e o meia Felipe Menezes estão sob cuidados médicos. O atacante Mouche, recém-chegado, ainda aprimora a forma física e deve estrear no fim de semana. Sem contar os negociados Valdivia e Marquinhos Gabriel. Gareca deixou alguns jogadores fora da relação por opção técnica, como Victorino, Patrick Vieira e Rodolfo, e apelou a jovens como Eduardo Júnior e Érik para tentar reagir na etapa final.

- Estou contente com a entrega. Eles mesmo, todos sabemos que temos de melhorar. Sei que eles pensam igual a mim. Mas não posso criticar a atitude que tiveram, eu gostei. Foi bom - ponderou ele, que vê possibilidade de melhoras até na comunicação:

- O idioma é um problema para mim. Peço desculpas pela maneira de falar, mas tenho grande colaboração dos jogadores. Estou muito contente com eles, porque me facilitam. Peço desculpas porque meu discurso não é apropriado para uma entrevista. Tenho que melhorar o time.