icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
27/03/2014
00:41

Depois de passar o mês de março economizando nas palavras com a imprensa, Paulo Henrique Ganso resolveu encarar os microfones após a eliminação surpreendente para o Penapolense nas quartas de final do Campeonato Paulista. O camisa 10 defendeu os companheiros e negou que tenha faltado raça no Morumbi durante a derrota nos pênaltis por 5 a 4 após empate sem gols no tempo normal.

- A gente jogou com raça, deu a vida até o último minuto, mas os pênaltis às vezes são uma loteria. Todo mundo sabia que ia ser assim devido ao que foi no ano passado, não foi surpresa encontrar tanta dificuldade. O Narciso pedia o tempo todo para me apertarem para que eu não pensasse - afirmou o armador.

Além da forte marcação imposta pelo Penapolense, Ganso colocou na falta de gols do tempo normal a culpa pelo nervosismo nos pênaltis. Apenas o garoto Rodrigo Caio desperdiçou uma cobrança, mas o próprio meia chegou a parar em Samuel. O árbitro Alessandro Darcie mandou voltar e Ganso conseguiu converter a segunda tentativa.

- Não conseguimos entrar na defesa deles, ficou 0 a 0 e perdemos nos pênaltis. A gente sentiu a pressão por não ter feito o gols no tempo normal. E se não achasse o gol, a pressão ia aumentar ainda mais nas penalidades. Foi o que aconteceu - justificou.

Fora do Campeonato Paulista, o São Paulo volta a campo somente no dia 9 de abril, quando recebe o CSA no Morumbi para o jogo de volta da Copa do Brasil. O primeiro confronto terminou em vitória tricolor por 1 a 0 no estádio Rei Pelé, em Maceió. Depois, o time volta a campo no dia 20 para enfrentar o Botafogo na estreia do Campeonato Brasileiro, também no Morumbi.

Após jogo morno, Penapolense elimina São Paulo nos pênaltis