icons.title signature.placeholder Bruno Quaresma
16/03/2014
07:31

Reserva na última quarta-feira, Paulo Henrique Ganso volta ao time titular do São Paulo às 16h deste domingo contra o Ituano pela 14ª rodada do Campeonato Paulista. Responsável por assistências surpreendentes em campo, só é possível prever o que ele fará na saída do gramado: calar-se diante dos microfones.

Pelo menos tem sido assim nos últimos cinco jogos. O meia não dá entrevistas desde o clássico com o Santos, em 23 de fevereiro. Na oportunidade, ele ficou no banco de reservas e entrou na segunda etapa. Quando deixava o gramado, não quis falar com a imprensa.

Reservado, Ganso não divide com muitas pessoas do clube o motivo. Quem convive diariamente com o camisa 10 acredita que o silêncio se deve às críticas que o jogador vinha recebendo até então. Curiosamente, o futebol do meia melhorou nos jogos seguintes. Contra o XV de Piracicaba, saiu do banco de reservas para dar passe preciso para Luis Fabiano. Voltou a ser titular e marcou um golaço no clássico contra o Corinthians.

Só ficou no banco em Maceió por opção tática, já que Muricy Ramalho queria escalar Alexandre Pato. Hoje, no Morumbi, ele deve ser um dos poucos titulares em campo, já que o técnico pretende poupar alguns jogadores desgastados. Depois do jogo no Rei Pelé, a reportagem do LANCE! tentou falar com o meia na saída do vestiário. Ele afirmou que não queria dar entrevistas, não explicou o motivo e brincou ao dizer que Osvaldo, autor do gol, é quem deveria ser entrevistado. Apesar de se recusar a falar, Ganso não faltou com educação em nenhum momento desde que optou por não atender à imprensa.

Um dos principais atletas do elenco são-paulino, Paulo Henrique Ganso foge do estilo da maioria dos jogadores da nova geração. Brincos, correntes, tatuagens e carros extravagantes não fazem parte do perfil do camisa 10 tricolor. Aos 24 anos, ele se casou no ano passado e não é visto em baladas pela cidade.

Em campo, a parte que mais interessa ao torcedor, o Maestro busca a regularidade. Muricy o colocou no banco contra o Santos para dar um choque no meia, que acordou nas rodadas seguintes. Cabe a ele manter o nível das atuações contra XV de Piracicaba e Corinthians. Imprevisível nos jogos, Ganso tem feito seu trabalho de bico fechado. Hoje, deve falar com o pé de novo.

Os jogos em que Ganso se calou

Santos
Ganso não vinha de boas atuações, mas  Muricy Ramalho surpreendeu ao deixá-lo no banco justamente contra sua ex-equipe. O meia entrou no fim do jogo, que terminou 0 a 0 no Morumbi.

XV de Piracicaba
Apesar do empate no clássico, a atuação do Tricolor foi elogiada e Muricy manteve Ganso no banco em Piracicaba. O jogo estava empatado quando ele saiu do banco e deu bela assistência para Luis Fabiano. Depois, jogou bem até o fim da partida, que foi vencida pelo São Paulo por 3 a 1.

Audax
O Maestro recuperou a vaga de titular diante do Audax e atuou os 90 minutos. A forma ousada do adversário jogar fez com que a maioria dos gols da goleada por 4 a 0 saíssem de bolas roubadas. Ganso chutou uma bola na trave.

Corinthians
O clássico contra o maior rival era a prova de fogo para o meia e para o time do Tricolor. No Pacaembu, a equipe estava perdendo quando o camisa 10 acertou uma bomba de fora da área e fez um golaço para empatar. O São Paulo venceu por 3 a 2.

CSA
Para Pato jogar, Ganso ficou no banco em Maceió, entrou no fim e quase deu uma assistência para o estreante.