icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
28/11/2014
09:05

Firmado como um dos principais jogadores do São Paulo, Paulo Henrique Ganso creditou parte do sucesso a Rogério Ceni. O camisa 10 do Tricolor admitiu que chegou ao Tricolor sobre desconfiança, mas contou com o apoio do capitão principalmente no início. E se rendeu ao maior ídolo do clube.

- Foi o cara que me recebeu com todo carinho, apoio. Cheguei sob certa desconfiança e ele me passou confiança. É um exemplo de profissional, de pessoa. Só tenho a agradecer pelo aprendizado que ele dá a todos os jogadores - afirmou o camisa 10, em entrevista coletiva.

Ceni já declarou que encerraria a carreira este ano, mas nos últimos dias tem repensado a decisão. Ganso disse que torce para o capitão continuar, mas, apesar de ser próximo do colega, garante que ele ainda não comunicou qualquer decisão.

- A gente está sempre conversando, brincando. Mas é difícil perguntar para ele o que decidiu. É um momento dele, único, e ele mesmo tem que resolver. A gente só espera que seja a melhor decisão para ele e para todo o mundo - afirmou.

Ganso disse que torce para Rogério continuar ainda por muitos anos e elencou os aspectos positivos da presença do goleiro, fazendo elogios pomposos ao dono da meta são-paulina.

- Gols, títulos, tudo isso fala o que representa para o futebol mundial. Fico feliz por hoje estar ao lado dele. Marquei gols em cima de um mito do futebol mundial, esse é marcante. Que possa permanecer muitos anos para continuar sendo líder. A equipe para ser campeã, precisa de vários líderes. Não só o Rogério. Ele abre espaço para a gente falar antes do jogo, então outros líderes aparecem. O apelido dele já o define: mito do futebol mundial - definiu Ganso.

Ganso chegou ao São Paulo no fim de 2012 e demorou para engrenar. Naquele ano, o técnico era Ney Franco, que, quando saiu, deu a entender que Ceni minava o potencial do camisa 10. O treinador entrou em atrito com o capitão. Ganso nunca confirmou a versão de Ney.