icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
21/12/2013
16:21


A disputa do terceiro lugar no Mundial de Clubes, além de ser a despedida do técnico Cuca, era a grande chance de o Atlético-MG não transformar sua viagem ao Marrocos em um completo vexame. Mas o Galo, mesmo tendo vencido o jogo dos perdedores e evitado a pior colocação brasileira na história do torneio, mostrou, mais uma vez, um futebol fraco. O Guangzhou Evergrande, que não teve a mínima chance contra o Bayern de Munique, conseguiu mostrar mais força que o atual campeão da Libertadores, apesar de a partida terminar com a vitória do time brasileiro por 3 a 2.

Do lado alvinegro, destaque negativo para a defesa, que, muito lenta, viu o Evergrande virar o jogo em menos de 10 minutos no começo da partida. O ponto positivo foi Ronaldinho, que marcou novamente de falta para a alegria de seus fãs marroquinos (mesmo tendo sido expulso por agressão). Já os chineses deram adeus a Conca, que volta para o Fluminense.

GALO DORME, MAS EMPATA

O começo de jogo no Estádio de Marrakesh enganou os prognósticos. Marcos Rocha logo encontrou um cruzamento perfeito, algo que faltou a ele na semifinal contra o Raja Casablanca, e Diego Tardelli conseguiu antecipar a marcação para abrir o placar para o Galo. Com menos de dois minutos de jogo, o Atlético-MG mostrava que dominaria a partida. Doce engano.


Tardelli abriu placar para o Galo (Foto: Gerard Julien/AFP)

Bastou os primeiros ataques do time chinês para o velho problema da semifinal se repetir no Marrocos. Réver e Leonardo Silva eram lentos no desarme e as laterais, verdadeiras avenidas. Em falha de Marcos Rocha, o atacante brasileiro Elkeson carimbou o travessão de Victor. No rebote, o ex-atleticano Muriqui empatou a partida com facilidade.

O Galo era morto em campo. Tudo bem que era uma disputa de terceiro lugar, algo que passou longe da cabeça dos alvinegros. Porém, a despedida de forma honrosa de Cuca do comando da equipe tinha tudo para sair errado. Logo o Guangzhou mostrou que iria usar, de forma cruel, a morosidade atleticana. Em novo ataque cheio de buracos na defesa, o time asiático sofreu um pênalti infantil de Lucas Cândido e Conca, também se despedindo, virou a partida.


Conca festeja gol marcado de pênalti (Foto: Fadel Senna/ AFP)

Mais uma vez atrás do placar no Marrocos, o Alvinegro teve de ouvir vaias dos corajosos atleticanos que foram ao Estádio de Marrakesh. Pela primeira vez, Cuca foi xingado, pois insistia em deixar Lucas em campo. Para a melhora da equipe, Lucas se contundiu e Junior Cesar foi para o seu lugar. Mal na partida, o Galo teve de contar com os pés de craque de Ronaldinho. Em nova falta frontal, o camisa 10 deixou Li Shuai plantado e fez o seu segundo gol no Mundial.


R10 marca de falta e garante empate do Galo (Foto: Gerard Julien/ AFP)

LUAN SALVA O GALO

O Guangzhou começou a etapa complementar sabendo que a vitória seria adquirida se o comportamento defensivo fosse parecido com o do primeiro tempo. O Atlético continuou ruim na defesa e seu ataque, com Jô como referência, não funcionava. O atacante que pretende jogar a Copa do Mundo jogou mal e acabou sendo substituído por Luan.

A facilidade para penetrar na zaga atleticana era tão grande que a terceira bola chinesa foi tocada na trave e o rebote só não foi aproveitado por muito azar. Victor voltou a aparecer em lance de Muriqui, no qual Conca viu Réver e Leonardo Silva quase dormindo em campo e enfiou para o camisa 11, que arrematou para a boa defesa do arqueiro.

O Galo só conseguiu alguma coisa com a raça de Luan ou os lampejos de Ronaldinho. Quando os dois se juntaram, o desempate foi impedido pela zaga do Guangzhou.

Se Ronaldinho empolgou os torcedores marroquinos com seu gol de falta e alguns dribles, foi peça lamentável no final do jogo, quando agrediu Zhao Xuri, após tomar um pisão do mesmo. Recebeu vermelho direto e deixou o Galo sem um batedor de pênaltis.

Ronaldinho se envolve em confusão com chinês e é expulso

O alívio veio no finalzinho. Como o jogo diante do Tijuana, Luan entrou para tirar o Galo da miséria, mesmo. Aos 46 minutos, ele recebeu livre de marcação, esperou o momento certo e virou o jogo para o Atlético-MG, matando o jogo e garantindo a terceira posição do Mundial para o clube.


Luan comemora com Pierre o gol da virada atleticana (Foto: Eric Feferberg/ AFP)

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-MG 3 X 2 GUANGZHOU EVERGRANDE

Local: Estádio de Marrakesh, Marrocos
Data e Hora: 21/12/2013, às 14h30 (Horário de Brasília)
Árbitro: Alireza Faghani (IRN)
Auxiliares: Hassan Kamranifar (IRN) e Reza Sokhandan
Cartão amarelo: Lucas Cândido e Réver (CAM) e Sun Xiang (GUA)
Cartão vermelho: Ronaldinho, 42'/2ºT

GOLS: Diego Tardelli, 2'/1ºT (1-0); Muriqui, 9'/1ºT (1-1); Conca, 16'/1ºT (1-2); Ronaldinho, 45'/1ºT (2-2) e Luan, 46'/2ºT (3-2)

ATLÉTICO-MG: Victor, Marcos Rocha, Leonardo Silva, Réver e Lucas Cândido (Junior Cesar, 33'/2ºT); Pierre e Josué (Leandro Donizete, 34'/2ºT); Diego Tardelli, Ronaldinho e Fernandinho; Jô (Luan, 14'/2ºT) - Técnico: Cuca

GUANGZHOU: Li Shuai, Younggwon Kim, Xiaoting Feng, Zhang Linpeng e Sun Xiang (Hao Rong, 19'/2ºT); Gao Lin, Bowen Huang, Zheng Zhi (Zhao Xuri, 40'/2ºT) e Conca; Muriqui e Elkeson (Junyan Feng, 31'/2ºT) - Técnico: Marcelo Lippi