icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
11/11/2014
18:29

O Atlético-MG pode ser punido devido ao imbróglio envolvendo a desistência do Cruzeiro de contar com ingressos no primeiro jogo da final da Copa do Brasil, no Independência, com mando do Galo, nesta quarta-feira, às 22h. A procuradoria-geral do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) não se pronuncia sobre o fato, mas não descarta uma punição e aguarda uma representação do clube visitante para denunciar a agremiação presidida por Alexandre Kalil.

O Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD) prevê multa entre R$ 100 e R$ 100 mil à instituição que infringir a lei que determina o repasse de 10% da carga total de entradas a torcedores visitantes.

Quando o Atlético solicitou tíquetes para os seus torcedores no jogo do Mineirão, a diretoria da Raposa se pronunciou e exigiu 2331 entradas para a partida prevista no Campo do Horto, número que corresponde a 10% da capacidade total do estádio. O Galo, contudo, informou que o setor para visitantes comporta 1800 pessoas, 640 a menos que o pedido pela diretoria celeste.

O Cruzeiro enviou à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) um comunicado em que questiona às ‘manobras’ do arquirrival. O clube alega que as medidas adotadas pelo Alvinegro ferem o Estatuto do Torcedor e o Regulamento Geral de Competições da CBF, que informam que o visitante tem direito a 10% da carga total de ingressos e que o prazo para receber a quantidade é de 72 horas antes do jogo.