icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
05/07/2013
15:56

O Brasil estará muito bem representado no UFC 162, que será realizado neste sábado, em Las Vegas, com luta principal entre Anderson Silva e Chris Weidman. Dentre os seis lutadores brasileiros está Gabriel Napão, ex-desafiante ao título dos pesos pesados, e que agora terá o americano Dave Herman como adversário. Conhecido por ser um lutador explosivo e capaz de realizar qualquer surpresa, como o nocaute histórico diante do lendário Mirko Cro Cop, o brasileiro tenta voltar ao topo do esporte que mais cresce no mundo.

Napão foi escolhido para substituir Shane Del Rosario, faltando pouco tempo para a luta, mas o que para muitos poderia ser um problema, para o brasileiro é apenas mais um grande desafio em sua carreira.

- Para essa luta de agora eu fui chamado em cima da hora. Perguntaram se eu estava em condições de lutar porque o Shane teve uma baixa e eu respondi que estava à disposição, sem problema. Renovei meu contrato por mais quatro lutas e estou aí para trabalhar, para o que der e vier. Sou funcionário do UFC e peguei a luta numa boa - conta o atleta.

Especialista em jiu-jitsu, Gabriel Napão tem um cartel de 14 vitórias e sete derrotas no MMA. Nove conquistas foram através de finalizações e cinco em nocautes. Ele jamais perdeu com uma finalização. Tais números compravam o quanto ele é um atleta explosivo e prefere acabar com as lutas antes da decisão dos juízes.

Pouco antes da polêmica derrota para Travis Browne, em luta realizada em abril, pelo TUF Finale 17, Napão vinha de uma sequência boa, com três vitórias consecutivas. Agora, diante de Dave Herman, ele pretende mostrar que continua num bom momento para voltar a lutar contra os melhores de sua categoria.

- A expectativa é muito boa. Será uma vitória como outra qualquer, vou seguir meu rumo, sempre buscando subir para o top 10 da categoria. Eu vinha numa sequência muito boa e, realmente, naquela luta (diante de Travis Browne) não tive o resultado esperado. Quero buscar de novo o caminho das vitórias - afirma.

O Brasil estará muito bem representado no UFC 162, que será realizado neste sábado, em Las Vegas, com luta principal entre Anderson Silva e Chris Weidman. Dentre os seis lutadores brasileiros está Gabriel Napão, ex-desafiante ao título dos pesos pesados, e que agora terá o americano Dave Herman como adversário. Conhecido por ser um lutador explosivo e capaz de realizar qualquer surpresa, como o nocaute histórico diante do lendário Mirko Cro Cop, o brasileiro tenta voltar ao topo do esporte que mais cresce no mundo.

Napão foi escolhido para substituir Shane Del Rosario, faltando pouco tempo para a luta, mas o que para muitos poderia ser um problema, para o brasileiro é apenas mais um grande desafio em sua carreira.

- Para essa luta de agora eu fui chamado em cima da hora. Perguntaram se eu estava em condições de lutar porque o Shane teve uma baixa e eu respondi que estava à disposição, sem problema. Renovei meu contrato por mais quatro lutas e estou aí para trabalhar, para o que der e vier. Sou funcionário do UFC e peguei a luta numa boa - conta o atleta.

Especialista em jiu-jitsu, Gabriel Napão tem um cartel de 14 vitórias e sete derrotas no MMA. Nove conquistas foram através de finalizações e cinco em nocautes. Ele jamais perdeu com uma finalização. Tais números compravam o quanto ele é um atleta explosivo e prefere acabar com as lutas antes da decisão dos juízes.

Pouco antes da polêmica derrota para Travis Browne, em luta realizada em abril, pelo TUF Finale 17, Napão vinha de uma sequência boa, com três vitórias consecutivas. Agora, diante de Dave Herman, ele pretende mostrar que continua num bom momento para voltar a lutar contra os melhores de sua categoria.

- A expectativa é muito boa. Será uma vitória como outra qualquer, vou seguir meu rumo, sempre buscando subir para o top 10 da categoria. Eu vinha numa sequência muito boa e, realmente, naquela luta (diante de Travis Browne) não tive o resultado esperado. Quero buscar de novo o caminho das vitórias - afirma.