icons.title signature.placeholder Guilherme Cardoso
13/12/2013
21:03

É hora de garantir uma vaga na Seleção Brasileira adulta de judô no próximo ano. É com esse pensamento que Gabriel Mendes vai entrar no tatame neste sábado para a disputa da segunda etapa da Seletiva Rio-2016, no ginásio do Flamengo, no Rio de Janeiro. A competição vai definir os atletas que vão compor a equipe no próximo ano.

Todas as 14 categorias (sete masculinas e sete femininas) têm pelo menos uma vaga em aberto. Normalmente, a Seleção conta com três judocas em cada uma delas. As exceções serão os pesos meio-pesado e pesado masculino, que terão quatro participantes.

Mendes vai tentar um lugar na categoria leve (até 73kg). Serão 13 lutadores em busca de uma vaga.

– A categoria está meio em aberta. É uma oportunidade boa, sou novo e tenho a chance de conquistar essa vaga na Seleção. Estou trabalhando fortemente para isso. Tive essa oportunidade ano passado, mas não consegui e fiquei com a seleção júnior – disse ao LANCE!.

Para obter uma vaga no time adulto, o atleta de 20 anos não deve ter vida fácil. A categoria leve é a que conta com mais lutadores inscritos. Se não bastasse, Marcelo Contini, que lutou pela Seleção adulta neste ano, está na disputa.

Nascido em Alagoas, Mendes treina atualmente no Flamengo. Ele é um dos judocas remanescentes do clube carioca. Neste ano, ele ficou com a medalha de bronze no Mundial Sub-21, na Eslovênia.

Apesar de novo, ele sabe qual a principal meta: estar na Olimpíada do Rio, em 2016. E hoje, ele pode dar o primeiro passo para isso.

– Até lá, tem muito tempo para trabalhar. É entrar na Seleção e conseguir os pontos no ranking mundial. É o que mais quero.

SELEÇÃO BRASILEIRA EM 2014:

Já garantidos
Das 44 vagas na Seleção, 23 já estão preenchidas por: Felipe Kitadai e Diego Santos (categoria até 60kg); Charles Chibana e Luiz Revite (até 66kg); Bruno Mendonça e Alex Pombo (até 73kg); Victor Penalber e Leandro Guilheiro (até 81kg); Tiago Camilo (até 90kg); Renan Nunes, Luciano Corrêa e Rafael Buzacarini (até 100kg); Rafael Silva, David Moura e Walter Santos (mais de 100kg); Sarah Menezes (até 48kg); Érika Miranda (até 52kg); Rafaela Silva e Ketleyn Quadros (até 57kg); Mariana Barros (até 63kg); Maria Portela (até 70kg); Mayra Aguiar (até 78kg); e Maria Suelen Altheman (acima de 78).

O que falta?
Restam vagas em todas as categorias. Serão três judocas em cada uma. Os pesos meio-pesado (até 100kg) e pesado (mais de 100kg) masculino vão contar com quatro atletas cada.

CONFIRA UM BATE-BOLA COM GABRIEL MENDES:

LANCE!Net: Como foi o início da sua carreira?
Gabriel Mendes: Nasci em Alagoas. Meu pai (Paulo Mendes) era boxeador e sempre me incentivou a fazer esporte. E o único que tinha no colégio era o judô. Comecei como uma brincadeira, como muitas crianças, e acabei gostando. Levei na brincadeira até 11, 12 anos. A partir daí, começou a ficar mais sério, passei a participar de campeonatos estaduais, regionais e nacionais. Depois, comecei a conquistar titulos importantes e ficou sério.

L!Net: Quando você começou a treinar no Flamengo?
GM: Tinha um atleta de Alagoas, Bruno Cunha, que estava no Flamengo. Aí, vim fazer algumas semanas de treino. Me aceitaram. Depois, vim de uma vez dpois que perdi uma Seletiva Nacional, no começo do ano passado, em Goiânia. Vi que não dava mais para ficar em Alagoas e percebi que precisava de um lugar melhor para treinar.

L!Net: Nesse ano, o Flamengo diminuiu o investimento nos esportes olímpicos. Isso afetou você? Como está sua situação?
GM: Está tudo certo. O clube me dá boas condições de treino, recebo tudo direito. Fiquei com um pouco de receio na época, mas foi uma coisa de momento. Como disseram que não iam dispensar todos, continuei com as mesmas condições. Para mim, não mudou nada.