icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
07/11/2013
21:35

Insatisfeitos com a venda das sedes históricas em Milão, funcionários do tradicional diário "La Gazzetta dello Sport" entraram em greve que já dura dois dias. Com a paralisação, o jornal não foi às bancas nesta quinta-feira e a página eletrônica está desatualizada, com a manchete da vitória do Barcelona sobre o Milan, pela Liga dos Campeões.

O diário esportivo italiano pertence ao grupo RCS, cujos proprietários conseguiram, na última quarta-feira, a aprovação da venda dos locais.

De acordo com um comunicado dos funcionários, publicado, inclusive, no site da "Gazzetta", a negociação teve um valor girando em torno dos 120 milhões de euros (quase R$ 370 milhões), no entanto, o lucro será nulo porque a quantia será investida em reformas recentes, além de outros compromissos.

O texto, elaborado pela redação, afirma que as tratativas foram impulsionadas pela volta da Fiat como sócia majoritária e menciona o corte de gastos que culminou na demissão de 370 funcionários de diversas áreas, mesmo com o aumento de capitais do jornal.

O grupo RCS ainda não se pronunciou a despeito do assunto.

Tradicional cor-de-rosa, o "La Gazzetta dello Sport" foi publicado pela primeira vez em 1896.