icons.title signature.placeholder Caio Carrieri
20/03/2014
15:17

Um funcionário do Avanti, programa de sócio-torcedor do Palmeiras, foi agredido com um soco na cara no início da confusão que acabou em depredação no Palestra Itália nesta quinta-feira. Após cerca de 40 minutos do início da venda de ingressos para o clássico com o Santos, exclusiva para sócios, a briga começou. Um pacote com entradas e outro com dinheiro sumiram do clube.

Houve ameaça e tentativa de "furar" o esquema de venda antes da briga, relatam os presentes. Os funcionários do Avanti perceberam que alguns torcedores estavam usando carteirinhas que já tinham sido utilizadas na venda. Ao ser barrado, um deles tentou forçar a entrada na sede. "Libera pra nós, libera pra nós, estamos juntos sempre", disse. Um funcionário, então, levou um soco. Com medo de represália, ele não irá à delegacia. O Palmeiras diz ainda não ter informações sobre roubo.

Os torcedores entravam de "cinco em cinco" na sala de vendas. De acordo com relatos, os vândalos pertencem a torcidas uniformizadas, mas não estavam vestidos com trajes que os identificassem.

Após a agressão, outro funcionário, com pacotes de ingressos e dinheiro, os jogou atrás de uma geladeira. Outros torcedores entraram na briga e destruíram o local. Ao fim da confusão, tais pacotes sumiram. Um torcedor chegou a cortar a perna ao chutar a porta de vidro.

A perícia já foi ao Palestra Itália. Uma funcionária já prestou depoimento no 23º DP, em Perdizes, que vai seguir a apuração do caso.

A venda de ingressos para Santos x Palmeiras, neste domingo, é restrita aos sócios do Avanti. A atitude gerou reclamações de torcedores organizados já no início da semana. Nesta quinta, a Mancha Alviverde estendeu faixa contra o presidente Paulo Nobre ao lado do clube.

Vândalos depredam sede do sócio-torcedor do Palmeiras