icons.title signature.placeholder Bruno Cassucci
08/03/2014
08:03

O tão aclamado “DNA ofensivo”, sempre exigido pelos torcedores do Santos, parece estar de volta à Vila Belmiro. Dono da melhor campanha e do melhor ataque do Paulista, com 30 gols marcados em 12 confrontos, o Peixe vem encantando e dando esperanças de títulos a sua torcida. E, pelo menos no número de gols, essa equipe já igualou a de 2010, que virou sensação no Brasil com Ganso, Neymar, Robinho e companhia.

Com a goleada por 5 a 2 sobre o Mogi Mirim, na última quinta-feira, o Peixe comandado por Oswaldo de Oliveira empatou com o time de Dorival Júnior, que após 12 jogos em 2010 (sendo um pela Copa do Brasil, contra o Naviraiense) também havia marcado 30 vezes. Curiosamente o número de gols sofridos é o mesmo: 11, média de quase um por partida.

No entanto, para manter a “disputa” com o time de 2010, o Santos tem que continuar avassalador. Isso porque foi justamente depois do 12º jogo daquela temporada que o Peixe aplicou algumas goleadas históricas, como os 10 a 0 sobre o Naviraiense e os 9 a 1 sobre o Ituano.

Contente com o desempenho ofensivo alvinegro, o técnico Oswaldo de Oliveira quer agora ajustar os problemas defensivos.

– Estou triste pelos gols que levamos. São situações que alertamos sempre nos treinamentos, mas ao menos não descaracterizou nossa vitória. Mas, se sempre fizermos cinco, não me incomodo em levar dois. – afirmou, logo após a vitória sobre o Mogi.

Assim como acontece agora, naquele ano os gols santistas também eram bem divididos. Naquela altura, André era o artilheiro do Peixe, com sete gols. Agora, quem ocupa o posto são os jovens Gabriel e Geuvânio, cada um com cinco tentos. A história do Santos de 2010, quase todos lembram, terminou com dois títulos, o do Paulistão e o da Copa do Brasil. E o deste Peixe?

Arouca e Léo são os únicos remanescentes:

O volante Arouca e o meia Léo são os únicos presentes nas conquistas de 2010 que ainda estão no elenco alvinegro. Naquele ano, ambos eram titulares, enquanto hoje apenas o camisa 5 segue jogando. O veterano, de 38 anos, que deve se aposentar após o Campeonato Paulista, está recuperado de cirurgia no joelho direito e treina sem restrições. Porém, ainda falta ritmo de jogo ao ex-lateral, que pode estrear no ano nas últimas rodadas da primeira fase do Estadual.

Outro jogador que estava naquele grupo e segue no Peixe é o zagueiro Edu Dracena. Contudo, o defensor teve de operar o joelho direito no começo do ano, após grave contusão com o rompimento do ligamento, e só voltará aos gramados apenas depois da pausa para a Copa do Mundo. O zagueiro Durval, hoje no Sport, foi o último campeão de 2010 a deixar a Vila Belmiro – em dezembro do ano passado.