icons.title signature.placeholder Murilo Dias
26/04/2014
20:31

De frio, só o clima. E o time do Santos. Quente, o Coritiba aqueceu a noite no Couto Pereira, mas não soube como balançar as redes do time da Vila Belmiro e viu o jogo terminar em 0 a 0 neste sábado, em jogo válido pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro.

Com o desfalque de Júlio Cesar, que se lesionou logo no começo da partida, a torcida do Coxa Branca ficou apreensiva. Bastaram alguns lances para que o medo se transformasse em entusiasmo. Logo aos cinco minutos, Zé Love tabelou com seus companheiros, saindo na cara de Aranha. Teve a chance de abrir o placar, mas se atrapalhou e mandou para fora.

Como resposta, Gabriel recebeu lançamento em profundidade e tentou marcar por cobertura após ver o goleiro Vanderlei sair mal do gol. Para azar do Santos e sorte do Coritiba, a bola passou ao lado da trave e foi para fora. O Peixe dava a sensação de que recuperaria o bom futebol visto no Campeonato Paulista. Mas não o fez e o Coxa foi para cima.

Chico, Zé Love, Robinho. Todos tentaram e por pouco não conseguiram balançar as redes de Aranha, que, mesmo atrapalhado, conseguiu aguentar a pressão. A bola na trave de Leandro Almeida, depois de cobrança de falta, mostrava a apatia do Alvinegro Praiano. O goleiro santista teve ainda de fazer bela defesa, após Jajá, que entrou no lugar de Júlio Cesar, mandar uma bomba de fora da área.

A chance de Jajá, entretanto, foi a última clara para o Coritiba na primeira etapa. Sem tirar o pé, o Alviverde chegava constantemente ao gol do Santos, mas não era feliz em suas conclusões e perdia muitas oportunidades de gol. As chances do adversário irritavam o time do Santos, que chegou a ver David Braz e Leandro Damião discutirem asperamente.

Apagado durante todo o primeiro tempo, Damião teve seu nome narrado somente quando se chocou com o zagueiro Chico. Isso e nada mais. Não participando da partida, muito pela bola não chegar aos seus pés, o camisa 9 foi sacado no intervalo para a entrada de Geuvânio.

Com a promessa em campo, o Santos conseguiu equilibrar o jogo, mas ficou longe de oferecer riscos a Vanderlei, goleiro do Coxa. Apenas deixou de ser ameaçado constantemente, como foi na primeira etapa.

A chama do jogo foi reacesa por Robinho, que recebeu passe de Zé Love e bateu com perigo para o gol. O calor do duelo foi alimentado por Geraldo, que recebeu ótimo lançamento de Jajá e fuzilou, levando perigo ao gol de Aranha.

Chama acesa, mas logo apagada. O quente Coritiba esfriou, o frio Santos descongelou e a partida perdeu sua graça. A noite de sábado começou a ficar sonolenta, assim como o jogo.

Gabriel, chutando apenas pela segunda vez na partida, arriscou de fora da área e obrigou o goleiro Vanderlei a fazer boa defesa. Zé Love, da entrada da área, por pouco não se torna o herói da partida com uma linda bicicleta que explodiu no travessão.

A partida foi um claro exemplo de que nem sempre o melhor vence no futebol. Dominando de cabo a rabo, o Coritiba não foi capaz de furar Aranha e marcar o gol da vitória. O Santos, por sua vez, precisa recuperar o bom futebol se quer descansar tranquilo na parada para a Copa do Mundo.

Na próxima rodada do Campeonato Brasileiro, o Coxa vai até São Paulo encarar o Tricolor Paulista, no dia 3 de maio. Já o Santos tem o Grêmio como próximo adversário. A partida será na Vila Belmiro, também no dia 3.

FICHA TÉCNICA:
CORITIBA 0 X 0 SANTOS

Data: 26/4/2014
Local: Couto Pereira, em Curitiba (PR)
Árbitro: Emerson de Almeida Ferreira (MG)
Auxiliares: Luiz Claudio Regazone (RJ) e Luiz Antonio Muniz de Oliveira (RJ).
Cartões amarelos: Cicinho, Alisson e Stéfano Yuri (Santos), Luccas Claro, Zé Eduardo e Gil (Coritiba)

CORITIBA: Vanderlei; Victor Ferraz, Luccas Claro, Leandro Almeida e Carlinhos; Baraka, Chico (Geraldo, aos 23'/2ºT), Gil e Robinho (Roni, aos 31'/2ºT); Zé Love e Julio César (Jajá, aos 8'/1ºT) – Técnico: Celso Roth.

SANTOS: Aranha, Cicinho, Jubal, David Braz e Emerson; Alison, Alan Santos e Cícero; Gabriel (Stéfano Yuri, aos 40'/2ºT), Thiago Ribeiro (Lucas Lima, aos 34'/2ºT) e Leandro Damião (Geuvânio, intervalo) - Técnico: Oswaldo de Oliveira.