icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
01/07/2013
10:08

Antes da decisão contra a Espanha, o grupo do Brasil ouviu algumas palavras do coordenador técnico, Carlos Alberto Parreira. A conversa foi revelada pelo atacante Fred e, segundo o camisa 9, contribuiu para a motivação dos jogadores em campo.

O tetracampeão mundial em 1994 ressaltou a importância de a Seleção voltar a se impor, especialmente por ter disputado o torneio no país, e recuperar a hegemonia no cenário mundial.

- Parreira falou uma coisa no início, antes de entrar em campo, que precisa respeitar a hierarquia. Nossa equipe é penta, estamos jogando em casa, tem de ditar o ritmo e será assim na Copa do Mundo. O adversário que vir jogar terá de respeitar - contou o camisa 9.

E a conquista sobre a Fúria serve, na visão do jogador, não apenas como ponto de retomada desse respeito, mas também como uma resposta positiva à confiança passada pela torcida no decorrer do torneio.

- Nossa equipe chegou desacreditada de fora para dentro, mas otimista e trabalhadora internamente. Todos confiando um no outro, principalmente comissão técnica. E essa evolução e confiança externou para torcida e imprensa - comentou Fred.

Matador! Veja os gols de Fred na Copa das Confederações

Antes da decisão contra a Espanha, o grupo do Brasil ouviu algumas palavras do coordenador técnico, Carlos Alberto Parreira. A conversa foi revelada pelo atacante Fred e, segundo o camisa 9, contribuiu para a motivação dos jogadores em campo.

O tetracampeão mundial em 1994 ressaltou a importância de a Seleção voltar a se impor, especialmente por ter disputado o torneio no país, e recuperar a hegemonia no cenário mundial.

- Parreira falou uma coisa no início, antes de entrar em campo, que precisa respeitar a hierarquia. Nossa equipe é penta, estamos jogando em casa, tem de ditar o ritmo e será assim na Copa do Mundo. O adversário que vir jogar terá de respeitar - contou o camisa 9.

E a conquista sobre a Fúria serve, na visão do jogador, não apenas como ponto de retomada desse respeito, mas também como uma resposta positiva à confiança passada pela torcida no decorrer do torneio.

- Nossa equipe chegou desacreditada de fora para dentro, mas otimista e trabalhadora internamente. Todos confiando um no outro, principalmente comissão técnica. E essa evolução e confiança externou para torcida e imprensa - comentou Fred.

Matador! Veja os gols de Fred na Copa das Confederações