icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
01/07/2013
23:27

O atacante Fred destacou na noite desta segunda-feira, no programa “Bem Amigos”, os motivos para que fosse capaz de ter uma atuação tão destacada pela Seleção Brasileira na Copa das Confederações.

O artilheiro relacionou o primeiro gol contra a Espanha, quando caído conseguiu colocar a bola para dentro, com o momento de protestos no país e dedicou o lance ao povo brasileiro, que segundo ele, também cai rotineiramente para se levantar.

Para o jogador, o apoio da comissão técnica também foi fundamental para o sucesso. Mesmo tendo iniciado a Copa das Confederações sem marcar nas duas primeiras partidas, Fred foi mantido por Felipão na equipe e correspondeu, tornando-se artilheiro da competição ao lado de Fernando Torres.

Outro aspecto destacado foi o hino nacional, uma vez que a música interrompia e a torcida seguia com os atletas até o final. Um símbolo de união que mexia com os jogadores antes das partidas.

Em relação à decisão, a preleção de Parreira, que mostrou minuciosamente como atua a Espanha foi destacada. As palavras de Julio Cesar, jogador que teve uma redenção pessoal desde a eliminação na Copa do Mundo de 2010 até chegar à partida de ontem, emocionaram os atletas.

Por fim, o artilheiro lembrou do pai, Juarez, para quem fez o símbolo do bigode quando marcou o segundo gol no confronto. Para ele, os treinos e a confiança desde quando ele tinha 11 anos de idade foram essenciais para que tivesse sucesso. A certeza com que correu para comemorar o terceiro gol brasileiro antes mesmo de a bola entrar era a mesma convicção do pai ao olhar para o então menino Fred e insistir para que persistisse nos treinos porque um dia ele iria chegar lá.

Matador! Veja os gols de Fred na Copa das Confederações


O atacante Fred destacou na noite desta segunda-feira, no programa “Bem Amigos”, os motivos para que fosse capaz de ter uma atuação tão destacada pela Seleção Brasileira na Copa das Confederações.

O artilheiro relacionou o primeiro gol contra a Espanha, quando caído conseguiu colocar a bola para dentro, com o momento de protestos no país e dedicou o lance ao povo brasileiro, que segundo ele, também cai rotineiramente para se levantar.

Para o jogador, o apoio da comissão técnica também foi fundamental para o sucesso. Mesmo tendo iniciado a Copa das Confederações sem marcar nas duas primeiras partidas, Fred foi mantido por Felipão na equipe e correspondeu, tornando-se artilheiro da competição ao lado de Fernando Torres.

Outro aspecto destacado foi o hino nacional, uma vez que a música interrompia e a torcida seguia com os atletas até o final. Um símbolo de união que mexia com os jogadores antes das partidas.

Em relação à decisão, a preleção de Parreira, que mostrou minuciosamente como atua a Espanha foi destacada. As palavras de Julio Cesar, jogador que teve uma redenção pessoal desde a eliminação na Copa do Mundo de 2010 até chegar à partida de ontem, emocionaram os atletas.

Por fim, o artilheiro lembrou do pai, Juarez, para quem fez o símbolo do bigode quando marcou o segundo gol no confronto. Para ele, os treinos e a confiança desde quando ele tinha 11 anos de idade foram essenciais para que tivesse sucesso. A certeza com que correu para comemorar o terceiro gol brasileiro antes mesmo de a bola entrar era a mesma convicção do pai ao olhar para o então menino Fred e insistir para que persistisse nos treinos porque um dia ele iria chegar lá.

Matador! Veja os gols de Fred na Copa das Confederações