icons.title signature.placeholder Michel Castellar
28/06/2014
19:50

A França desembarcou na noite deste sábado em Brasília, onde enfrenta a Nigéria, pelas oitavas de final da Copa do Mundo, no Estádio Nacional - Mané Garrincha, às 13 horas, na segunda-feira. No domingo, a equipe realiza o treinamento oficial às 12h45 no Centro de Capacitação Física do Corpo de Bombeiros.

O ônibus com os jogadores chegou ao hotel na capital federal às 19h45. Apenas um torcedor francês esperava a seleção, o engenheiro Fred Muller, que estava acompanhado pela mulher, Fellithia Muller, uma cunhada, além de uma amiga, todas brasileiras. Os outros três eram brasileiros descendentes de franceses.

- A França está bem melhor do que o previsto. Está em fase ascendente e creio que irá até as quartas de final ou semifinal - disse Muller, que ainda tem esperanças de conseguir comprar um ingresso para o jogo contra a Nigéria, via site da Fifa.

Casados há dez anos e moradores de Compeiegne, que fica a 45 minutos de Paris, Fellithia é natural de Brasília e a cada dois anos vem rever os parentes. Ela contou que o fato de a Copa coincidir com a época de vir ao Brasil foi uma grande felicidade.

- O Fred queria muito ver a França, mas ainda não temos ingressos. Então, optamos por vir ao hotel para vermos a chegada da seleção - contou Fellithia.

O gramado do Estádio Mané Garrincha será novamente poupado e, por isso, os atletas franceses não poderão fazer o reconhecimento do local. A seleção terá de utilizar as dependências do Corpo de Bombeiros. O local também será usado pelos nigerianos, que irão treinar às 15h45.

Uma das expectativas para o time que irá enfrentar os nigerianos é a definição de quem será o companheiro de Benzema no ataque. Nas três primeiras partidas realizadas pela França, o técnico Didier Deschamps escalou três jogadores diferentes: Griezmann, Sissoko e Giroud.

Outra dúvida no time é quanto a escalação do zagueiro Mamadou Sahko. O jogador sente dores musculares na coxa esquerda e tem feito tratamento intensivo para poder participar da partida.