icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
06/11/2013
12:47

Desde que o técnico Claudinei Oliveira assumiu o comando do Santos, o meia Montillo atuou em variadas posições. Em algumas partidas, o camisa 10 jogou como meia, em outras, foi deslocado e fez a função de atacante. Segundo o volante Alison, o principal marcador do Peixe, quanto mais liberdade o treinador der ao atleta argentino, melhor para a equipe.

- Para o Montillo, a gente tem que dar liberdade. Porque ele é um jogador que faz nosso time jogar, é o camisa 10, então o máximo de liberdade que ele tiver para ajudar nossa equipe, melhor. Se precisar que ele fique sem marcar, mas definindo lá na frente, é importante – afirmou Alison em entrevista coletiva nesta quarta-feira, no CT Rei Pelé.

Com 44 pontos ganhos, o Santos está na nona colocação do Campeonato Brasileiro e ainda sonha com uma vaga na Libertadores. Apesar da dificuldade, já que o Peixe está a nove pontos do Botafogo, último time do G4, e restam apenas seis rodadas para o término do Brasileirão, o volante ainda crê na classificação e destaca o que significaria disputar a competição sul-americana.

- Eu acho que é um dos campeonatos mais importantes e mais difíceis de serem jogados. Eu gostaria muito de jogar, de disputar uma Libertadores. Por isso que a gente ainda não deve ‘jogar a toalha’. A gente tem que lutar dia a dia, jogo a jogo, para alcançar nossa vaga – completou.