icons.title signature.placeholder Felipe Bolguese
13/03/2014
10:30

O torcedor Fernando Wilson de Carvalho, o "Suíça", é o único entre os quatro corintianos que receberam mandado de prisão que está foragido. Ele foi identificado na invasão do CT Joaquim Grava, no dia 1 de fevereiro, e denunciado no processo solicitado pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), que corre desde a última segunda-feira na 17ª Vara Criminal do Fórum da Barra Funda, em São Paulo.

De acordo com o consultor-médico do Corinthians, Joaquim Grava, Suíça, que é membro da Gaviões da Fiel, compôs a "comissão" de cinco torcedores que teve contato com o técnico Mano Menezes, o diretor de futebol Ronaldo Ximenes e o gerente Edu Gaspar horas depois da invasão do CT. Segundo relatos, ele "era um dos mais reivindicadores e estava inconformado com o modo que os jogadores estavam jogando em campo". O torcedor foi identificado por foto e reconhecido por alguns dos funcionários que prestaram depoimentos nas últimas semanas.

De acordo com o documento da denúncia, Fernando foi quem "cortou a tela do alambrado, com ferramenta específica, possibilitando que os demais torcedores adentrassem o Centro de Treinamento".

Em abril de 2013, o torcedor foi banido por 90 dias dos jogos do Corinthians pela Federação Paulista de Futebol. A decisão, assinada pelo presidente Marco Polo Del Nero e divulgada no dia 16 de abril no site da entidade, foi motivada "em ocorrência de desobediência e incitação a propagação da violência", no duelo entre Corinthians e São Paulo no Morumbi, no dia 31 de março, pela primeira fase do Campeonato Paulista, em que o time do então técnico Tite venceu por 2 a 1.

No dia 20 de fevereiro, quando a Polícia Civil deu início nas ruas à "Operação Hooligans", e os torcedores Gabriel Monteiro de Campos e Tarcísio Baselli Diniz foram presos. Dias depois, Tiago Aurelio dos Santos Ferreira, que também esteve preso em Oruro (BOL) no ano passado, apresentou-se à delegacia. Os três cumprem mandado de prisão preventiva e, se não conseguirem habeas corpus, permanecerão presos até a data do julgamento.

Anderson Cavalcanti da Silva, membro da Gaviões da Fiel, teve o mandado de prisão revogado pela Justiça depois de comprovar que estava trabalhando no dia e hora da invasão, como revelou o LANCE!Net no dia 27 de fevereiro. 

Ricardo Cabral, advogado que representa a uniformizada e advoga em causa de Fernando, afirmou que assim que o processo estivesse no fórum, seu cliente seria apresentado para colaborar com as investigações. Cabral disse também que colaboraria com as investigações e levaria para prestarem depoimentos outros cinco torcedores da Gaviões identificados que, no entanto, não foram citados no documento da denúncia.