icons.title signature.placeholder Guilherme Abrahão e Marcello Vieira
icons.title signature.placeholder Guilherme Abrahão e Marcello Vieira
23/07/2013
08:16

Além da derrota para o Vasco, na reestreia do Fluminense no Maracanã, alguns pontos ainda precisam ser melhorados em relação à parceria do clube com o Consórcio Maracanã S.A., que está gerindo o estádio. Algumas situações causaram desconforto no clube e uma reunião para debater estes pontos será agendada.

De início, horas antes do clássico, alguns membros da diretoria do Fluminense fizeram uma inspeção minuciosa no estádio e repararam algumas coisas que ainda precisam ser modificadas. Nesta terça-feira, o Tricolor receberá um relatório completo do que deve ser alterado, para em seguida agendar uma reunião com o Consórcio. Em relação à estrutura oferecida ao clube, tanto vestiários como acessos foram elogiados. Em contrapartida, algumas questões de logística precisam ser ajustadas.

E MAIS
Torcida do Flu se revolta com 'Show das Poderosas' no Maracanã
Ingressos caros deixam Maracanã desértico nas arquibancadas centrais
Na conta da Ferj! Para Flu, má relação com federação pode ter interferido em derrota

– O Maracanã está muito estruturado para jogadores e diretoria. Não temos reclamações a fazer. Outros pontos ainda vão ser estudados e faremos um relatório em cima de situações pontuais – resumiu o vice de futebol, Sandro Lima.

Uma questão a ser abordada foi o constrangimento criado no intervalo do jogo. O DJ responsável pela animação do público colocou a famosa música da funkeira MC Anitta chamada de "Show das Poderosas", que irritou a torcida tricolor. Isto porque, na internet, os torcedores rivais tiram sarro dos tricolores com a canção. O LANCE!Net apurou que o clube também não ficou satisfeito com esta situação, já que antes do jogo pediu para ter acesso às músicas que seriam tocadas para entreter os torcedores e não foi correspondido pelo Consórcio. Além disso, o desgaste aumentou porque o Consórcio descumpriu alguns acordos que tinha com o Fluminense. Inclusive envolvendo os animadores de torcida e locutores, que não estavam previstos.

Em relação ao campo de jogo, o Tricolor não viu problemas de logística, já que os vestiários foram personalizados e o acesso dos jogadores foi tranquilo.

Além da derrota para o Vasco, na reestreia do Fluminense no Maracanã, alguns pontos ainda precisam ser melhorados em relação à parceria do clube com o Consórcio Maracanã S.A., que está gerindo o estádio. Algumas situações causaram desconforto no clube e uma reunião para debater estes pontos será agendada.

De início, horas antes do clássico, alguns membros da diretoria do Fluminense fizeram uma inspeção minuciosa no estádio e repararam algumas coisas que ainda precisam ser modificadas. Nesta terça-feira, o Tricolor receberá um relatório completo do que deve ser alterado, para em seguida agendar uma reunião com o Consórcio. Em relação à estrutura oferecida ao clube, tanto vestiários como acessos foram elogiados. Em contrapartida, algumas questões de logística precisam ser ajustadas.

E MAIS
Torcida do Flu se revolta com 'Show das Poderosas' no Maracanã
Ingressos caros deixam Maracanã desértico nas arquibancadas centrais
Na conta da Ferj! Para Flu, má relação com federação pode ter interferido em derrota

– O Maracanã está muito estruturado para jogadores e diretoria. Não temos reclamações a fazer. Outros pontos ainda vão ser estudados e faremos um relatório em cima de situações pontuais – resumiu o vice de futebol, Sandro Lima.

Uma questão a ser abordada foi o constrangimento criado no intervalo do jogo. O DJ responsável pela animação do público colocou a famosa música da funkeira MC Anitta chamada de "Show das Poderosas", que irritou a torcida tricolor. Isto porque, na internet, os torcedores rivais tiram sarro dos tricolores com a canção. O LANCE!Net apurou que o clube também não ficou satisfeito com esta situação, já que antes do jogo pediu para ter acesso às músicas que seriam tocadas para entreter os torcedores e não foi correspondido pelo Consórcio. Além disso, o desgaste aumentou porque o Consórcio descumpriu alguns acordos que tinha com o Fluminense. Inclusive envolvendo os animadores de torcida e locutores, que não estavam previstos.

Em relação ao campo de jogo, o Tricolor não viu problemas de logística, já que os vestiários foram personalizados e o acesso dos jogadores foi tranquilo.