icons.title signature.placeholder Marcello Vieira e Rodrigo Lois
icons.title signature.placeholder Marcello Vieira e Rodrigo Lois
12/07/2013
10:05

 O Fluminense terá como referência o Setor Sul do Maracanã, próximo à Rua Professora Eurico Rabelo. Isso já foi estabelecido com o Consórcio Maracanã S.A, que hoje administra o local. Por ali será o acesso fixo em todos os jogos do estádio. Além de funcionar como o ponto principal para a torcida, esse lado do Maracanã será utilizado para a instalação de uma sala de atendimento aos tricolores e também de uma loja oficial do clube.

Porém, a implementação do local comercial só será a partir de 2015, conforme o prórpio Flu divulgou. Até lá, há a possibilidade de se trabalhar com estandes móveis para os produtos. Mas o Flu vislumbra a geração de receitas com visitações, licenciamentos conjuntos e associação de marcas.

- Temos ideias de ativações, ações com sócios, possibilidades de tecnologias. Mas pelo modelo de parceria, tudo deve ser proposto e realizado em conjunto com o consórcio. As ações estão sendo trabalhadas a quatro mãos entre os departamentos de marketing do consórcio e do Fluminense. Nós com análise e produção de conteúdo, e eles com a implementação e estruturação - comentou o gerente de arenas do Fluminense, Carlos Eduardo Moura.

E MAIS

> Organizadas e serviço aos torcedores são pontos a serem resolvidos no Maracanã
> Arrumando a casa! Fluminense já se movimenta para explorar o Maracanã
> Assinatura do contrato com consórcio gera críticas na base política do Flu

Para as ações a serem realizadas no Maracanã, o Fluminense e o consórcio (formado pelas empresas IMX, AEG e Odebrecht) contarão com a contribuição de profissionais vindos de Portugal, experientes na gestão de outras arenas modernas e com perfil parecido.

As áreas destinadas ao Fluminense são aquelas localizadas atrás dos gols. O clube poderá receber 56,6% da renda de público por jogo, o que representa 43 mil pessoas. Porém, não terá participação na venda dos camarotes, áreas VIP, bares, restaurantes e estacionamento.

 O Fluminense terá como referência o Setor Sul do Maracanã, próximo à Rua Professora Eurico Rabelo. Isso já foi estabelecido com o Consórcio Maracanã S.A, que hoje administra o local. Por ali será o acesso fixo em todos os jogos do estádio. Além de funcionar como o ponto principal para a torcida, esse lado do Maracanã será utilizado para a instalação de uma sala de atendimento aos tricolores e também de uma loja oficial do clube.

Porém, a implementação do local comercial só será a partir de 2015, conforme o prórpio Flu divulgou. Até lá, há a possibilidade de se trabalhar com estandes móveis para os produtos. Mas o Flu vislumbra a geração de receitas com visitações, licenciamentos conjuntos e associação de marcas.

- Temos ideias de ativações, ações com sócios, possibilidades de tecnologias. Mas pelo modelo de parceria, tudo deve ser proposto e realizado em conjunto com o consórcio. As ações estão sendo trabalhadas a quatro mãos entre os departamentos de marketing do consórcio e do Fluminense. Nós com análise e produção de conteúdo, e eles com a implementação e estruturação - comentou o gerente de arenas do Fluminense, Carlos Eduardo Moura.

E MAIS

> Organizadas e serviço aos torcedores são pontos a serem resolvidos no Maracanã
> Arrumando a casa! Fluminense já se movimenta para explorar o Maracanã
> Assinatura do contrato com consórcio gera críticas na base política do Flu

Para as ações a serem realizadas no Maracanã, o Fluminense e o consórcio (formado pelas empresas IMX, AEG e Odebrecht) contarão com a contribuição de profissionais vindos de Portugal, experientes na gestão de outras arenas modernas e com perfil parecido.

As áreas destinadas ao Fluminense são aquelas localizadas atrás dos gols. O clube poderá receber 56,6% da renda de público por jogo, o que representa 43 mil pessoas. Porém, não terá participação na venda dos camarotes, áreas VIP, bares, restaurantes e estacionamento.