icons.title signature.placeholder Guilherme Abrahão e Sérgio Arêas
icons.title signature.placeholder Guilherme Abrahão e Sérgio Arêas
25/07/2013
06:29

O departamento de futebol do Fluminense vive um dilema. A questão que atormenta é saber até que ponto Abel Braga ainda pode fazer este time render. A resposta poderá custar a cabeça do treinador, a prêmio há algum tempo nas Laranjeiras.

Os sucessivos fracassos nesta temporada fizeram com que fosse iniciada a busca por um substituto. Celso Barros, presidente da patrocinadora do clube e que tem forte influência no departamento de futebol, já entrou em contato com Vanderlei Luxemburgo e Ney Franco, entre outros. Mas encontrou resistência no clube. Com isso, Abel ganhou sobrevida no comando do time.

– A dúvida que existe na escolha de um possível substituto é definir se querem um técnico motivador ou um que seja capaz de desenvolver um planejamento a longo prazo. Além disso, ainda há quem acredite que Abel possa, sim, inverter esta situação e fazer com que o time dê a volta por cima – disse, ao LANCE!Net, uma pessoa influente dentro do clube, que pediu anonimato.

LEIA TAMBÉM
- Flu reduz para R$ 40 o preço do ingresso para o jogo contra o Cruzeiro
- Fluminense aguarda proposta oficial para definir situação de Samuel
- Wágner acredita que Flu mudou característica nessa temporada

SOCIAL TRICOLOR
- Abel deve ser substituído ou merece um voto de confiança da diretoria?

OPINE
- Quem é o melhor treinador para comandar o Fluminense?

Por planejamento, os dirigentes tricolores entendem que um novo treinador deve ser capaz de manter a integração entre todas as categorias, como Abel e a comissão técnica dele fazem muito bem.

Apesar da divisão de opiniões entre os caciques das Laranjeiras, está claro que Abel Braga está por um triz no comando do time. A partida contra o Grêmio, domingo, poderá ser decisiva. Caso perca e a troca se torne inevitável, a diretoria deverá procurar um técnico tampão, capaz de motivar o grupo e levar o time a uma campanha razoável neste Campeonato Brasileiro.

Por outro lado, mesmo que Abel consiga motivar os jogadores a ponto de o Fluminense mostrar a força daquele time que conseguiu se tornar campeão brasileiro com três rodadas de antecedência ano passado, os dias dele nas Laranjeiras estarão contados.


Abel Braga já é contestado pela diretoria e torcida do Flu (Foto: Bruno de Lima/LANCE!Press)

No clube, está claro que o departamento de futebol passará por uma autêntica reformulação para a próxima temporada. De comissão técnica a jogadores, muita coisa mudará. O que se espera, numa visão bastante otimista, é que o Fluminense, com Abel ou sem ele, consiga uma arrancada daquelas que teve em 2009 e 2011 e ao fim do Brasileiro esteja entre os quatro primeiros colocados. Será?

GRUPO FECHADO COM TREINADOR

Para se manter no cargo mesmo com os resultados ruins, o técnico Abel Braga conta com aliado de peso: o grupo do Fluminense. Desde sua chegada, em junho de 2011, Abelão tornou-se além de comandante da equipe, parceiro dos jogadores. É comum em entrevistas de seus comandados, elogios ao trabalho e à amizade do treinador.

A diretoria do Fluminense, inclusive, acredita que o bom relacionamento e o bom ambiente criado com o treinador possa ser um fator essencial para dar a volta por cima. Entre os jogadores que têm mais proximidade com o treinador, está o capitão e líder da equipe Fred.

O meia Wágner falou sobre o carinho por Abel após o treino desta quarta-feira.

– Cabe a nós vencer. Vamos batalhar bastante e dedicar a vitória ao Abel Braga. Por tudo que ele vem fazendo, está sendo mais do que um treinador. Está sendo um pai para todos nós – disse.

Recentemente, Abel tem exposto em público as fragilidades da equipe tricolor, algo que não fazia anteriormente.

MURICY PRATICAMENTE DESCARTADO

Campeão brasileiro pelo Fluminense em 2010, mas que deixou o clube de forma conturbada no ano seguinte, Muricy Ramalho, um dos principais técnicos disponíveis no mercado, está praticamente descartado pela diretoria. Isto porque a alta cúpula de futebol não vê o treinador com o perfil buscado, já que o projeto é de reformulação para 2014.

Muricy não é visto como um treinador motivador e não faz o perfil de integração entre a base e os profissionais, o que a diretoria espera e que tem sido feito muito bem por Abel Braga.

O departamento de futebol do Fluminense vive um dilema. A questão que atormenta é saber até que ponto Abel Braga ainda pode fazer este time render. A resposta poderá custar a cabeça do treinador, a prêmio há algum tempo nas Laranjeiras.

Os sucessivos fracassos nesta temporada fizeram com que fosse iniciada a busca por um substituto. Celso Barros, presidente da patrocinadora do clube e que tem forte influência no departamento de futebol, já entrou em contato com Vanderlei Luxemburgo e Ney Franco, entre outros. Mas encontrou resistência no clube. Com isso, Abel ganhou sobrevida no comando do time.

– A dúvida que existe na escolha de um possível substituto é definir se querem um técnico motivador ou um que seja capaz de desenvolver um planejamento a longo prazo. Além disso, ainda há quem acredite que Abel possa, sim, inverter esta situação e fazer com que o time dê a volta por cima – disse, ao LANCE!Net, uma pessoa influente dentro do clube, que pediu anonimato.

LEIA TAMBÉM
- Flu reduz para R$ 40 o preço do ingresso para o jogo contra o Cruzeiro
- Fluminense aguarda proposta oficial para definir situação de Samuel
- Wágner acredita que Flu mudou característica nessa temporada

SOCIAL TRICOLOR
- Abel deve ser substituído ou merece um voto de confiança da diretoria?

OPINE
- Quem é o melhor treinador para comandar o Fluminense?

Por planejamento, os dirigentes tricolores entendem que um novo treinador deve ser capaz de manter a integração entre todas as categorias, como Abel e a comissão técnica dele fazem muito bem.

Apesar da divisão de opiniões entre os caciques das Laranjeiras, está claro que Abel Braga está por um triz no comando do time. A partida contra o Grêmio, domingo, poderá ser decisiva. Caso perca e a troca se torne inevitável, a diretoria deverá procurar um técnico tampão, capaz de motivar o grupo e levar o time a uma campanha razoável neste Campeonato Brasileiro.

Por outro lado, mesmo que Abel consiga motivar os jogadores a ponto de o Fluminense mostrar a força daquele time que conseguiu se tornar campeão brasileiro com três rodadas de antecedência ano passado, os dias dele nas Laranjeiras estarão contados.


Abel Braga já é contestado pela diretoria e torcida do Flu (Foto: Bruno de Lima/LANCE!Press)

No clube, está claro que o departamento de futebol passará por uma autêntica reformulação para a próxima temporada. De comissão técnica a jogadores, muita coisa mudará. O que se espera, numa visão bastante otimista, é que o Fluminense, com Abel ou sem ele, consiga uma arrancada daquelas que teve em 2009 e 2011 e ao fim do Brasileiro esteja entre os quatro primeiros colocados. Será?

GRUPO FECHADO COM TREINADOR

Para se manter no cargo mesmo com os resultados ruins, o técnico Abel Braga conta com aliado de peso: o grupo do Fluminense. Desde sua chegada, em junho de 2011, Abelão tornou-se além de comandante da equipe, parceiro dos jogadores. É comum em entrevistas de seus comandados, elogios ao trabalho e à amizade do treinador.

A diretoria do Fluminense, inclusive, acredita que o bom relacionamento e o bom ambiente criado com o treinador possa ser um fator essencial para dar a volta por cima. Entre os jogadores que têm mais proximidade com o treinador, está o capitão e líder da equipe Fred.

O meia Wágner falou sobre o carinho por Abel após o treino desta quarta-feira.

– Cabe a nós vencer. Vamos batalhar bastante e dedicar a vitória ao Abel Braga. Por tudo que ele vem fazendo, está sendo mais do que um treinador. Está sendo um pai para todos nós – disse.

Recentemente, Abel tem exposto em público as fragilidades da equipe tricolor, algo que não fazia anteriormente.

MURICY PRATICAMENTE DESCARTADO

Campeão brasileiro pelo Fluminense em 2010, mas que deixou o clube de forma conturbada no ano seguinte, Muricy Ramalho, um dos principais técnicos disponíveis no mercado, está praticamente descartado pela diretoria. Isto porque a alta cúpula de futebol não vê o treinador com o perfil buscado, já que o projeto é de reformulação para 2014.

Muricy não é visto como um treinador motivador e não faz o perfil de integração entre a base e os profissionais, o que a diretoria espera e que tem sido feito muito bem por Abel Braga.