icons.title signature.placeholder Marcello Vieira e Vitor Pimenta
20/06/2014
08:14

As contratações chamam a atenção. No Fluminense, chegaram Fabrício, Henrique, Edson e Cícero para a continuidade do Brasileirão. No entanto, o que em princípio pode parecer um gasto excessivo, na prática não deverá mudar o orçamento estipulado para o futebol desde o início do ano. Isto porque ao mesmo tempo em que busca reforçar o time, a diretoria trabalha para negociar jogadores que não estão sendo aproveitados.

Ontem, foi definida a saída de Leandro Euzébio, que rescindirá no início da próxima semana. Além dele, Marcos Júnior, Wellington Silva e Ronan já deixaram o clube. O argentino Martinuccio é outro que não permanecerá nas Laranjeiras e está a caminho do Coritiba. A expectativa é de que até o fim da próxima semana outros atletas deixem as Laranjeiras, tornando o elenco mais enxuto e também em conta.

Para se ter uma ideia, os nomes acima citados já representam uma economia mais significativa do que os novos gastos com os jogadores que chegaram recentemente. Vale lembrar que o Flu não paga os salários integralmente. O maior montante, inclusive, é arcado pela patrocinadora, que também não chega a aumentar os investimentos por isso.

Com o time na segunda colocação do Brasileiro, a filosofia da diretoria é a de um investimento inteligente que, na prática, significaria a troca de atletas caros e que não trouxeram retorno esportivo por outros que podem deixar o Fluminense ainda mais competitivo na busca do pentacampeonato nacional.

Para isso, todos os pedidos de Cristovão vão sendo atendidos. Falta apenas uma atacante rápido.