icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
13/04/2014
07:28

Vice-campeão. A definição pura e simples é "segundo melhor classificado em uma competição". Mas, talvez, não no Rio de Janeiro. A histórica rivalidade entre Flamengo e Vasco e as consecutivas finais entre os clubes fizeram com que o significado de “vice” se transformasse em algo muito maior, com mais peso e pressão. "Vice de novo" se transformou no bordão dos pesadelos cruz-maltinos, que rebatem dizendo que quem perdeu mais final entre os clubes foi o Rubro-Negro e fazem questão de afirmar a cada nova conquista – seja ela diante do Fla ou não – que “vice é o c...”.

Ao apito final, no fim da tarde deste domingo, um dos lados do Maracanã estará entoando a palavra. Mais uma vez, Flamengo e Vasco, frente a frente, disputando uma final de Carioca. Pela primeira vez, o Novo Maraca recebe um Clássico dos Milhões decisivo e, às 16h, o estádio passará a ser o centro do Rio de Janeiro. A partida, que terá transmissão em tempo real pelo LANCE!Net, decide o campeão do Carioca 2014. E aí, quem será o vice?

E MAIS
- Quem leva? Léo Moura e Guiñazú protagonizam duelo de capitães

L!TV:
> Rubro-negro que chorou por eliminação, agora quer lágrimas no rival
> Luiz Antônio quer título para esquecer Libertadores
> Douglas pede organização para Vasco ser campeão

Representantes das duas torcidas, Thiago Coimbra e Rodrigo Dinamite, fazem parte de uma geração que nunca viu o resultado que não o lado rubro-negro campeão. Os sobrenomes denunciam a relação deles com os clubes da Gávea e de São Januário, respectivamente.

– Se eles estão há 26 anos sem ganhar de nós, acredito que ficarão mais um – brinca Thiago, filho de Zico, eterno ídolo do Flamengo.

Rodrigo, filho de Roberto Dinamite, que completa 60 anos hoje, rebate e garante que não tem essa de vice.

– Sem essa de vice, estou confiante. Querendo ou não, Vasco sempre joga melhor que o Fla – afirma.

Certa vez, o vascaíno Nelson Piquet disse que o “segundo colocado era o primeiro perdedor”. A ansiedade bate e o coração acelera. Ninguém quer ser o primeiro... Perdedor.

E na contagem do LANCE!Net, sem incluir as finais de Taça Guanabara e Taça Rio, respectivamente, primeiro e segundo turnos na antiga fórmula de disputa do Campeonato Carioca, foram 22 decisões entre Flamengo e Vasco, com 11 títulos e 11 vices para cada lado (veja quadro na outra página). Então, hoje, saberemos quem é o freguês...

Idades e visões diferentes

Jovens, Thiago Coimbra e Rodrigo Dinamite não enxergam a final entre Flamengo e Vasco da mesma maneira. Apesar de já ter nascido na última vez em que a equipe de São Januário bateu o Fla em uma final, em 1988, o filho caçula de Zico, que tem 31 anos, era bem pequeno e não se recorda.

– Realmente eu nunca vi o Vasco sendo campeão em cima do Flamengo. Na memória de torcedor, a conquista que mais me marcou foi a de 2001, com aquele gol do Pet. Um gol daquele foi brilhante – disse.

Rodrigo, por sua vez, tem apenas 21 anos e desde que nasceu o Vasco venceu apenas finais de turno em cima do Flamengo:

– O jogo mais marcante foi aquele 5 a 1, do chocolate. Foi um chocolate perto da Páscoa, assim como agora. Espero que se repita (risos). Estava no estádio com meu pai.