icons.title signature.placeholder Eduardo Mendes
17/11/2013
08:02

O auge de Hernane e a queda de rendimento de Marcelo Moreno, que tornou-se reserva com Jayme de Almeida, indicam para o retorno do atacante ao Grêmio em 2014, mas o Flamengo se esquiva de pronunciar sobre o futuro do jogador antes da decisão da Copa do Brasil.

- Só vamos falar depois do dia 27, quando tiver uma definição da Copa do Brasil. Já começamos a ter uma ideia, mas depende de Jayme e do nosso planejamento para o ano que vem - explicou Paulo Pelaipe, diretor de futebol.

Com contrato vigente até 31 de dezembro, Marcelo Moreno teria de ter 55% dos direitos econômicos adquiridos pelo Rubro-Negro para permanecer. O percentual é a parte que cabe ao Tricolor gaúcho e que custou aproximadamente 4,5 milhões de euros (R$ 14 milhões). Ainda há uma pendência dos gaúchos com o Shakhtar Donetsk (UCR), dono de 30%. Na época, os gremistas compraram 70%, mas repassaram 15% ao Palmeiras quando contrataram o atacante Barcos.

E MAIS
> Apesar de Grêmio liberar, Flamengo não colocará Moreno em campo
> Em desembarque do Fla, ex-gremistas chamam a atenção em Porto Alegre
> Em troca de 'crédito', Grêmio libera uso de Marcelo Moreno pelo Flamengo

Como há três donos dos direitos econômicos, em caso de compra, o Flamengo também teria de se entender com dirigentes paulistas e do clube ucraniano, apesar de o Grêmio ter estipulado um valor para os 55%, que não foi revelado.

A ideia do clube era ficar em definitivo com Moreno a partir da dívida que os gaúchos têm com o Rubro-Negro relativa ao caso Rodrigo Mendes. A pendência está na Justiça e até o fim deste ano deverá chegar a R$ 10 milhões.

Com cinco gols apenas em 21 partidas, o atacante não empolgou e na visão de alguns dirigentes não valeria tal investimento.

Se o jogador está em baixa no Flamengo, no Grêmio Moreno ainda goza de prestígio. Existe uma corrente dentro do clube que faz coro pela volta do jogador. Alega que Barcos não rendeu o esperado e lembra da boa temporada que o atacante fez em 2012, quando foi o artilheiro do time com 22 gols.

AFASTAMENTO PARTIU DE LUXEMBURGO

O pedido de afastamento de Marcelo Moreno do Grêmio partiu de Vanderlei Luxemburgo e, apesar do alto investimento feito pelo clube, a diretoria gaúcha acatou. Pessoas ligadas ao boliviano atestam que não houve problemas disciplinares durante a passagem do jogador em Porto Alegre.

A decisão do treinador teria sido tomada depois de uma declaração do atacante sobre a chegada de Barcos, fomentando uma disputa entre ambos no ataque.

Moreno chegou a procurar o Pirata para explicar que não teve a intenção de promover publicamente uma briga por posição.

O treinador, porém, não aprovou a atitude do jogador e avisou que não trabalharia com Marcelo Moreno, até mesmo em função das várias opções para o setor.

As indicações de Welliton e Barcos, contratados para a sequência da equipe na Libertadores, foram de Luxemburgo, mesmo já tendo no grupo, à época, Marcelo Moreno, Kléber e o chileno Vargas, emprestado pelo Napoli (ITA).

Em maio, então, Marcelo Moreno acabou acertando a transferência para o Flamengo.