icons.title signature.placeholder David Nascimento e Pedro Barboza
05/11/2013
16:32

Os 54 mil ingressos que foram colocados à venda para o jogo desta quarta-feira, entre Flamengo e Goiás, pela volta da semifinal da Copa do Brasil, esgotaram com antecedência, mas o Rubro-Negro luta para que mais entradas sejam disponibilizadas. O clube solicitou ao Grupamento Especial de Policiamento em Estádios (Gepe) que liberasse os lugares vazios – cerca de 6 mil – do setor Superior Sul, o qual a torcida esmeraldina ficará, para que mais torcedores rubro-negros possam apoiar o time no Maracanã, aumentando a renda do partida, mas encontra resistência.

– Pedimos que a carga seja aumentada, agora depende apenas do Gepe. Infelizmente não depende apenas do Flamengo para que isto se concretize. É uma questão de bom senso, a polícia não pode reduzir a capacidade novamente alegando a questão de segurança e assim ter mais ou menos trabalho – disse o vice-presidente de marketing do Flamengo, Luiz Eduardo Baptista.

Este debate, entretanto, entra no ponto da segurança dos torcedores que vão assistir a partida no Maracanã. Isso fez com que o tenente-coronel do Gepe, João Fiorentini, descarte qualquer alteração por ora.

– Meu papel é dar segurança aos torcedores que estiverem presentes. Sei que o Flamengo quer vender mais, quer lucrar, porém, preciso ter responsabilidade sobre as vidas que estiverem no estádio. O problema é que as pessoas só querem ver o lado próprio, mas não se responsabilizam depois – afirmou Fiorentini.

O diretor de competições da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro, Marcelo Vianna, também comentou sobre o caso.

- Concordamos com a medida adotada pelo Gepe, pois é tudo bom senso. Sabemos que os clubes querem vender mais, pois geralmente os jogos dão prejuízo, e quando se tem a oportunidade de ganhar, claro que querem lucrar. Mas com o que o Maracanã dispõe hoje, tem que disponibilizar 10% da carga ao adversário, por isso não tem como fugir disso. É humanamente impossível fazer algo contrário. O que vale é a segurança dos torcedores - ressaltou o diretor.

CARGA TOTAL TAMBÉM É ALVO DE RECLAMAÇÃO

O vice-presidente de marketing do Flamengo, Luiz Eduardo Baptista, também fez críticas em relação à carga total do Maracanã e a disponibilizada para a semifinal da Copa do Brasil nesta quarta-feira. Ao todo, o estádio possui capacidade para 78.838 lugares e apenas 64.811 foram colocados à disposição para o jogo contra o Goiás:

– Esta é outra questão que o Gepe decide e acaba reduzindo também por segurança e o Flamengo não concorda. Se o estádio tem capacidade para mais de 70 mil pessoas, que disponibilizem tudo para partidas importantes, como já aconteceu em outros momentos desde a reinauguração.

Em nota, o Complexo Maracanã Entretenimento S.A. comentou que a carga foi decidida em reunião entre os clubes e os órgãos competentes:

"Em virtude dos questionamentos sobre a quantidade de ingressos para a partida entre Flamengo x Goiás, nesta quarta-feira,  a concessionária que administra o Maracanã esclarece que a carga de ingressos de 64.811 foi definida em reunião realizada na FERJ com a participação dos clubes, GEPE, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e demais órgãos competentes. Esse número é menor do que no jogo entre Flamengo x Botafogo devido ao fato de que os setores Norte e Sul naquele clássico foram colocados integralmente à venda.

Para a semifinal da Copa do Brasil, além do setor Norte, Leste e Oeste, o torcedor do Flamengo terá à sua disposição metade do setor Sul. Já na outra metade deste setor, que comporta cerca de 10.000 cadeiras, apenas 3.550 ingressos foram reservados à torcida do Goiás, ficando o restante do espaço indisponível, devido à grade separadora implantada por questões de segurança, conforme solicitação do GEPE."

*Atualizada às 18h28