icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
20/04/2014
07:06

A fim de ganhar dinheiro e melhorar as finanças do clube, a diretoria do Flamengo resolveu que o time fará uma odisseia pelo Brasil para mandar seus jogos. No ano passado, das 19 partidas que mandou no Campeonato Brasileiro, fez oito fora do Rio de Janeiro. Neste ano, o número pode aumentar para dez, deixando a equipe ainda mais longe do torcedor, o que tem irritado até os jogadores. E neste domingo o Rubro-Negro começa esta sina, diante do Goiás, no Mané Garrincha, às 16h, em jogo com transmissão em tempo real pelo LANCE!Net.

Para Alecsandro, um dos mais críticos com toda esta situação, o Flamengo terá de se acostumar a dormir na “casa dos parentes” durante o Brasileiro. Ele acredita que isso pode prejudicar a campanha rubro-negra durante a temporada:

– O jogador do outro clube sabe que ali não é a casa do Flamengo. O respeito do adversário muda. O jogador entra diferente, sabe que tem de jogar diferente. É complicado, é como se fosse dormir na casa de um parente. É da família, mas não é a mesma cama. Temos a comodidade de saber que é a casa de alguém da família, mas realmente não é a mesma coisa. Infelizmente, vai ser assim.

O argumento utilizado até agora é, que jogando em Brasília, o Flamengo terá sempre um grande público e conseguirá ganhar dinheiro com isso. Entretanto, pelo menos até agora, apenas 10 mil ingressos foram vendidos. O clube deixou de ser novidade na cidade. Prova disso é que, em 2013, no primeiro jogo na capital federal, levou 44.164 pessoas ao estádio. Entretanto, já no quarto jogo, apenas 12 mil pessoas compareceram para empurrar o time.

– São nove rodadas importantes (antes da Copa), mas o Brasileiro tem que se vencer em casa. Se bem que não vamos jogar em casa. Vai ser difícil. Vamos começar jogando fora e continuar jogando muito fora. Mas temos condições de vencer os jogos! – reclama o atacante.

A cada jogo que passa, a torcida, primordial na conquista da Copa do Brasil em 2013, está mais longe do time. Todos saem perdendo!