icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
31/07/2014
07:04


O futebol é importante, mas não pode fazer com que o restante do clube passe dificuldades. Esta é a postura que a diretoria do Flamengo vai tomar daqui até o fim do ano. Com problemas financeiros e inserido no Cadin do Banco Central, o Rubro-Negro fez das tripas coração para contratar Canteros e Eduardo da Silva, mas a tendência é que agora todo tipo de verba que entrar no caixa seja para pagar dívidas e resolver o problema de salários atrasados no elenco. Com isso, o torcedor pode começar a esquecer Robinho e outros jogadores renomados e começar a se acostumar com os jogadores que hoje vestem a camisa!

Com dois meses de salários atrasados com uma parte do elenco, o Flamengo entende que chegou o momento de arriscar menos e manter a responsabilidade no mercado. De acordo com Eduardo Bandeira de Mello, o "novo reforço" será nas finanças do clube.

– Estamos passando um momento de dificuldades crônicas devido a problemas financeiros que estão nos forçando a ter complexidades em termos de pagamento no elenco. No momento, reforçar alguma coisa no clube será reforçar o nosso caixa e resolver nossas pendências – afirmou o mandatário rubro-negro, ao Arena SporTV.


Bandeira conversa com Luxa: Fla não deve ter muitos reforços (Foto: Bruno de Lima/LANCE!Press)

Curiosamente, Bandeira de Mello e aliados pouco têm a ver com o péssimo momento financeiro do Flamengo. Isso porque o clube sofre sanções no Cadin por dívidas criadas entre 1990 e 1998, grande parte delas adquiridas na gestão de Kleber Leite. Na época, o Rubro-Negro devia cerca de R$ 38 milhões, mas hoje, com a correção, o valor chega aos R$ 80 milhões.

– Efetivamente é um processo difícil de gerir, mas é de médio/longo prazo e está dando certo. Se pegar a situação de antes e a de hoje, você vai ver uma melhora gigantesca. O Flamengo estava com todas as receitas penhoradas e tinha problemas em todos os tipos de renda, mas conseguimos as certidões negativas e tivemos acesso a incentivo para outros esportes.

Se no campo o Flamengo está na zona de rebaixamento, nas finanças vem tendo atitudes responsáveis e de primeira linha. Agora, tratando-se de um clube de futebol, é bom que a bola volte a entrar!