icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
01/07/2014
21:37

Neymar apareceu nesta terça-feira na Granja Comary com um dispositivo na perna direita que deixou a todos curiosos. Para que seria aquele negócio amarrado na perna do principal craque da Seleção Brasileira? O fisioterapeuta Luiz Rosan explica e tira um pouco a preocupação em relação à gravidade dos problemas encontrados pelo atacante depois do jogo contra o Chile.

O craque estava usando um neuroestimulador elétrico transcutâneo portátil. O nome é difícil, mas faz parte das medidas para facilitar a recuperação visando ao jogo contra a Colômbia. Ele libera leves choques que estimulam o próprio organismo a produzir os analgésicos naturais, resultando em alívio da dor sem a ingestão de remédios. Ele possui dois condutores em gel que podem ser aplicados diretamente na pele, três padrões de pulso elétrico.

- O aparelho cabe na palma da mão e funciona com bateria por algumas horas/sessões. Acredito ser fundamental em uma competição como a Copa do Mundo, onde estaremos por um longo período isolados e com o paciente à nossa disposição, ter esse tipo de dispositivo descartável e com baterias duráveis para ajudar e contribuir no processo de recuperação das lesões do esporte - disse Rosan, que ainda complementa o tratamento a Neymar:

- Neste processo de recuperação a rapidez é essencial. Os dois tratamentos mais usados se valem da crioterapia e eletroterapia. O primeiro procedimento consiste em técnicas que trabalham com baixas temperaturas em regiões locais ou gerais do corpo. O segundo, no uso de correntes elétricas dentro da terapêutica.

Poupado nesta terça-feira, Neymar fez um trabalho na academia durante a tarde e depois acompanhou o jogo-treino dos reservas contra o time sub-20 do Fluminense. A expectativa é que ele participe do coletivo desta quarta-feira, previsto para a parte da manhã.